Cobrança de US$1 pelo FaceTime para Mac não é à toa, segundo a Apple

Eu, você, o Roberto Carlos e as baleias nos surpreendemos hoje de manhã, quando a Apple liberou o FaceTime 1.0 no Mac App Store por US$1. “Cumequié?” — alguns se perguntaram.

Pois parece que essa cobrança não é à toa.

Cobrança de US$1 pelo FaceTime para Mac

Dan Moren, um dos editores sêniores da Macworld, falou com a Apple a respeito e descobriu que ela na verdade *precisa* cobrar um valor simbólico pelo serviço.

[blackbirdpie id=”40792516752187392″]

A questão teria a ver com contabilidade — a Apple não pode liberar novos recursos gratuitamente para hardwares existentes, de acordo com a lei vigente nos Estados Unidos. O mesmo ocorreu em 2007, quando a Apple lançou um patch para quem quisesse habilitar Wi-Fi 802.11n em Macs que já tivessem essa capacidade.

Não me perguntem — eu também não entendo muito bem as limitações disso e o que é considerado legal ou ilegal. Eu só acho que a Apple não embutiu esse preço como mais uma fonte de renda, ela não precisa disso. Não é à toa que todos os Macs novos com câmeras FaceTime vendidos a partir de agora já virão com o app pré-instalado.

Outra coisa: o que é US$1, pessoal? Eu nem pensei antes de clicar em “Buy”, sinceramente. A solução me traz benefícios demais para eu ficar perdendo tempo choramingando por uma quantia irrisória como essa. Mas cada um tem a liberdade de decidir o que é melhor para si, é claro.

[via MacRumors]

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes