Patenteie para travar: multi-touch em gadgets e desktops, proteção para a marca iCloud

A Apple conquistou recentemente uma patente primordial para a criação da tecnologia multi-touch, hoje presente em iPhones, iPads, iPods touch e trackpads de Macs. Este invento descreve métodos para atribuir valores de carga a ícones em uma tela sensível ao toque de forma que seja possível identificar quando o usuário efetua um comando intenso o suficiente para desencadear uma função.

Patente de cargas seletivas em touchscreens

Esse tipo de detecção é fundamental para evitar o acionamento acidental de elementos da interface, além de poder concentrar a sensibilidade da touchscreen em áreas relevantes para o usuário. Dessa forma, um iPhone pode concentrar mais carga elétrica ao redor de zonas “tocáveis”, ignorando partes vazias ou não interativas na tela.

Mas não é só em gadgets que estão concentrados os esforços da Apple relacionados com multi-touch: outra patente publicada nestes dias busca cobrir aplicativos, gestos e funcionalidades direcionados a desktops e computadores tradicionais dotados de telas sensíveis ao toque.

Patente de Macs e tablets com multi-touch

É possível notar claramente a presença de um ambiente de janelas e outros elementos de interface tradicionais nas ilustrações destas patentes, o que indica que a Apple está pelo menos atenta à possibilidade de vir a existir uma máquina deste tipo — seja em seus próprios laboratórios ou nos da concorrência. Vale sempre a pena lembrar que uma patente não serve apenas para proteger um futuro produto, mas também para evitar que outras pessoas o levem ao mercado.

Neste caso, porém, pelo menos parte dele já está entre nós: apesar de ainda não haver nenhum Mac com tela sensível ao toque, vários gestos constam neste invento (a pinça para zoom, inclusive), sem falar que tudo nele descrito poderia ser aplicado de forma similar em tablets. Por fim, há o registro de aplicativos e funções diversos, como invocar menus contextuais, um app de DJs e outro de edição de vídeo.

· · ·

Ícone do iCloudA Apple é tradicionalmente cuidadosa com suas marcas, então não é uma grande surpresa saber que hoje apareceram diversos outros registros para proteger o iCloud. Este caso, porém, encerra uma curiosidade: em vez de fazer um único pedido de registro com todas as categorias internacionais pertinentes, o departamento jurídico fez 11 pedidos distintos nos EUA, cada um com uma categoria.

Por que isso? Para evitar que problemas com a descrição de uma categoria ensejem numa suspensão ampla, impedindo o andamento de todas. Fazendo pedidos separados, mesmo que haja problemas com um deles (uma explicação que não tenha ficado suficientemente clara, por exemplo), todos os demais processos prosseguirão normalmente, já garantindo uma boa cobertura para a marca.

As categorias escolhidas pela Apple foram 009, 016, 025, 028, 035, 038, 039, 040, 041, 042 e 045, as quais cobrem desde computadores e periféricos, até telecomunicações e sistemas de buscas. Também foi feito um pedido de registro da marca iCloud na China.

[via Patently Apple: 1, 2, 3, 4]

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes