Piper Jaffray e Ticonderoga: a Apple está trabalhando numa televisão, e é pra logo

Heh, demorou. Gene Munster (iTV-afficcionado extraordinaire) fez exatamente o que eu previa: com a declaração de Jobs em sua biografia dizendo ter resolvido o problema da interface das TVs, o analista da Piper Jaffray saltou de cabeça feito uma criança numa piscina de bolinhas e afirmou que já há protótipos de televisores sendo desenvolvidos em Infinite Loop. Ele afirma isso com base em encontros com fontes próximas a fornecedoras asiáticas — talvez não as mesmas que ele usa desde 2009 para dizer que uma TV da Apple vai chegar “no ano que vem”.

Mockup de TV da Apple

Brian White pegou carona nessa história e gritou “FIRST!”, para dizer que a Ticonderoga Securities foi a primeira firma de análise a apresentar “evidências concretas” de que a Apple estaria trabalhando em algum tipo de televisor. “Acreditamos que um produto poderá chegar ao mercado nos próximos trimestres, abrindo uma nova categoria para a Apple e aumentando as vendas de produtos existentes que interagem com o ecossistema digital da Apple”, completou.

White aposta que a TV da Apple vai custar entre duas e três vezes o mesmo que um aparelho de LCD competitivo, ter um design imbatível e experiência de uso única. “Na nossa visão, recursos como Siri, FaceTime, App Store, iTunes e jogos são sob medida para uma Apple TV completa, combinando com potenciais novos recursos e tecnologias no futuro.”

Eu não engulo isso.

Na verdade, se for para pensar em um televisor da Apple, eu descartaria completamente o que esses analistas dizem e daria ouvidos à opinião de Marco Arment: o criador do Instapaper argumenta que a experiência da TV como um todo, do começo ao fim, é uma droga, e o que chamamos de “ver TV” precisa mudar para que isso melhore, do contrário uma iTV não vai passar de mais um AirPort — um bom produto na categoria, mas longe de ser revolucionário e mais longe ainda de ser um campeão de vendas. As sacadas dele são geniais, vale demais a pena ler o texto completo.

A meu ver, Arment acerta em cheio ao pintar o cenário “tradicional” da mítica televisão da Maçã com as cores mais realistas possíveis:

Como outras TVs no mercado, ela teria um punhado de entradas HDMI na traseira para você conectar seus videogames obsoletos e seu set-top box meia-boca. Ela teria um sintonizador ATSC para você poder ver TV aberta entediante com uma antena ruim, se não estiver pagando a uma companhia de cabo meia-boca por um serviço de cabo meia-boca. Se você estiver pagando uma companhia de TV a cabo meia-boca, talvez [a TV da Apple] tenha uma ou duas entradas CableCARD. De uma forma ou de outra, ela poderá substituir seu DVR meia-boca com uma implementação menos meia-boca. E ela teria toda a funcionalidade do Apple TV atual embutida, com um belo controle remoto e um sistema de navegação de menus simples.

Eu realmente espero que não seja assim. Isso não soa como a Apple.

Entretanto, é exatamente isso o que todo mundo quer. Mas ninguém lembra que o consumidor não sabe o que quer, que o consumidor quer cavalos mais rápidos em vez de carros. As pessoas que querem uma iTV desse jeito são as mesmas que queriam um iPhone com Click Wheel (ou pior: com teclado QWERTY), as mesmas que querem um ModBook com stylus em vez de um iPad. Em vez de olhar pro futuro, elas querem o presente, só que mais rápido (e caro).

Se (sim, “se”: mesmo o que há na biografia de Steve Jobs não garante nada) a Apple lançar uma televisão, pode ter certeza de que “ver TV” vai mudar completamente de significado — e, assim como com o iPad, o iPod e o iPhone, ninguém vai botar a menor fé nela de início.

[via Fortune Tech, BGR]

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes