Pesquisa poderá dar origem a baterias com dez vezes mais energia e dez vezes mais rápidas

A Ciência de vez em quando dá seus pulos, mas o normal é que ela caminhe devagar e sempre, avançando aos pouquinhos. Os resultados de uma pesquisa feita na Northwestern University indicam que mais dois passos foram dados em direção a baterias de íons de lítio muito mais potentes e ágeis. Ao alterar as camadas de grafeno presentes em baterias comuns com nanoclusters de silício e microperfurações, os pesquisadores conseguiram aumentar a capacidade de carga em dez vezes, além de permitir que recargas sejam igualmente mais rápidas.

Fazendo as contas de cabeça, isso quer dizer que um MacBook Air poderia ficar dois dias funcionando longe da tomada, mas levaria o mesmo tempo que hoje para voltar à carga total. Incrível, né? Agora imagine isso com um iPad: quatro dias de vídeo sem parar! #Brainsplodes

Só que esse avanço ainda deve levar um tempinho para chegar até nós: por enquanto, baterias com essas características têm uma vida útil não muito “verde”, digamos assim. Após meros 150 ciclos, o desempenho delas já cai pela metade, tanto em ganho de carga quanto em velocidade de recarga. Se (ou quando) conseguirem driblar essa limitação, aí pode se preparar.

De quantas cargas um Kindle com uma bateria dessas precisaria na vida toda?… 😛

[via TechCrunch]

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes