Microsoft apresenta o “fechado” Windows 10 S e o novo/belíssimo Surface Laptop

Quem te viu, quem te vê, Microsoft: a outrora gigante malvada do mundo da computação voltou às suas origens, reaprendeu a ser legal, a lançar produtos interessantes e até mesmo a voltar atrás em decisões que até, digamos, cinco anos atrás, pareciam gravadas na pedra como mandamentos da empresa. Quer uma prova?

Pois eu lhe dou duas, ambas vindas do evento realizado por Satya Nadella e sua turma esta manhã, em Nova York.

Windows 10 S

Era a ele que eu me referia quando falei dos mandamentos gravados em pedra. Sabe aquela imagem do Windows que você (provavelmente) tem de um sistema absolutamente exposto a qualquer ameaça, aberto a qualquer fonte — bem-intencionada ou não — da internet e sempre a um passo de tornar-se infestado de malwares? Bom, a Microsoft está querendo mudar essa impressão com esta nova versão do Windows 10.

Computador rodando o Windows 10 S

Trata-se, essencialmente, do mesmo Windows 10 de sempre — fechado, porém, a qualquer fonte que não venha da própria loja de aplicativos para o sistema. Se você quiser chamar de “iOS da Microsoft”, eu não irei repreendê-lo — embora, lembremo-nos, ainda estamos falando de um sistema operacional completo, com uma infinidade de programas e suporte a mouse; neste ponto, fica claro que o seu principal concorrente é, na verdade, o Chrome OS e os cada vez mais populares Chromebooks.

O foco da Microsoft com o Windows 10 S são estudantes e usuários casuais, que não precisam utilizar softwares especializados ou não querem instalar jogos de fontes externas. Os ônus e bônus são claros: se por um lado perde-se a flexibilidade quase infinita do Windows, por outro, o ganho na segurança é basicamente total, já que estamos falando de um sistema essencialmente fechado e imune a ameaças externas.

Além disso, o Windows 10 S é significativamente mais rápido, por rodar todas as aplicações em sandbox e apresentar um foco renovado na administração dos recursos — ou seja, caso um app esteja consumindo muita memória, o sistema irá automaticamente colocá-lo em repouso imediatamente para otimizar o funcionamento de tudo. Tudo isto, claro, é considerando o fato que esta versão do sistema será empregada principalmente em computadores educacionais e de baixo custo; a Microsoft afirma que haverá máquinas para o consumidor final de até US$189 com o Windows 10 S!

É bom notar que não estamos falando aqui de uma nova versão do Windows RT — o 10 S roda com tranquilidade qualquer aplicativo Win32; basta que ele esteja na loja da Microsoft. Caso o usuário sinta a necessidade de fazer a mudança para o Windows 10 tradicional a qualquer momento, entretanto, a gigante de Redmond não deixou de pensar neste detalhe — e facilitá-lo ao máximo: basta fazer o upgrade por US$49 (o preço no Brasil ainda não foi divulgado).

Surface Laptop

Você poderia pensar que, para apresentar o Windows 10 S oficialmente ao mundo, a Microsoft produziria uma máquina de baixo custo para equiparar-se aos mais baratos Chromebooks. Bom, caso você tenha pensado isto, deixe-me dizer que você está redondamente enganado: o Surface Laptop é o computador portátil mais “tradicional” da Big M até o momento, mas isto não significa que ele não seja, como seus irmãos, uma belíssima obra de engenharia de ponta — com um preço a caráter.

https://www.youtube.com/watch?v=74kPEJWpCD4

O computador, que pesa meros 1,25kg e tem 1,47 centímetros de espessura (ou seja, quase igual a um MacBook Pro de 13″), traz uma tela de 13,5 polegadas em proporção 3:2 e resolução de 2256×1504 pixels — o painel, é bom notar, traz total suporte à Surface Pen, mas não é destacável como no Surface Book. A máquina pode ser equipada com processadores Intel Core i5 ou i7 da geração Kaby Lake, até 1TB de armazenamento em estado sólido e até 16GB de RAM. A bateria, segundo a Microsoft, dura 14,5 horas(!!!), e, em termos de conectividade, temos uma porta USB 3.0 (nada de USB-C, por algum motivo) e Mini DisplayPort, além da porta proprietária Surface Connect.

Toda a parte externa da máquina é feita de alumínio, mas o interessante mesmo aparece quando abre-se a tampa: a superfície inferior do computador é revestida com Alcântara, um tecido de microfibra que guarda características semelhantes à lã e à seda — é o mesmo material que já equipa a Type Cover do Surface Pro. O Surface Laptop vem em quatro cores — Platinum, Graphite Gold, Burgundy (um tom de vinho) e Cobalt Blue — e seu preço inicial é de US$1.000 (~R$3.100, em conversão direta), com processador Core i5, 4GB de RAM e 128GB de armazenamento.

O Surface Laptop vem, como era de se esperar, com o Windows 10 S, mas a Microsoft está incluindo uma oferta especial para os primeiros adeptos da máquina: os seus donos poderão fazer o upgrade para o Windows 10 tradicional gratuitamente até o fim do ano, caso assim queiram.

[via 9to5Mac]

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes