Novo flagship da Huawei traz um conhecido recorte e três(!) câmeras traseiras — que bateram o recorde do DxOMark


Não foi só a Apple que apresentou novidades hoje.

Depois da Xiaomi, a Huawei, uma das fabricantes de smartphones que mais ascenderam nos últimos tempos, apresentou suas armas mais recentes para a guerra dos computadores de bolso. A família P20 traz tudo que se espera de um carro-chefe em 2018: componentes de última geração, abundância de memória, tela quase sem bordas e… sim, um característico recorte (notch).

São dois, os aparelhos da nova linha: o P20 e o P20 Pro, topo-de-linha; vamos nos concentrar nesse último, que é impressionante por uma série de fatores. O principal deles? Seu sistema, produzido em parceria com a Leica, com três (sim, 3!) câmeras traseiras, uma delas com 40(!) megapixels. As outras são um sensor monocromático de 20 megapixels e um dotado de lente teleobjetiva, com 8MP. Com isso, temos o melhor de todos os mundos — maior captura de luz com o sensor preto-e-branco e capacidades de zoom óptico, como nos iPhones recentes.

Os esforços da Huawei parecem ter surtido efeito: o P20 Pro tomou do Samsung Galaxy S9+ a coroa de melhor câmera de smartphone já avaliada pelo DxO Labs, com incríveis 109 pontos no teste DxOMark. Vejamos algumas comparações feitas pelos cientistas (clique nas imagens para ampliar):

Teste de exposição

Da esquerda para a direita: Huawei P20 Pro, iPhone X e Google Pixel 2

Baixa luminosidade

Da esquerda para a direita: Huawei P20 Pro, iPhone X e Google Pixel 2

Modo Retrato

Da esquerda para a direita: Huawei P20 Pro, iPhone X e Google Pixel 2

Zoom

Da esquerda para a direita: Huawei P20 Pro, iPhone X e Google Pixel 2

Além da câmera superpoderosa, o P20 Pro traz uma tela OLED de 6,1 polegadas, processador Kirin 970 (produzido pela própria Huawei), 6GB de RAM, 128GB de armazenamento e bateria de 4.000mAh. O sensor de digitais fica na frente, espremido na diminuta borda inferior do aparelho, e não temos aqui nem sinal de saída para fones de ouvido — a única conexão física com o mundo exterior é a porta USB-C. Muito interessante também é o design do bichinho, com uma traseira de vidro dotada de um belo gradiente que quebra as convenções tradicionais do design de smartphones.

Pra não dizer que não falei das flores, o P20 “comum” também é um aparelho bastante respeitável, com uma tela LCD de 5,8 polegadas e sistema de câmera dupla (aqui, sem a lente monocromática). O processador e a capacidade de armazenamento são os mesmos, bem como a (lamentável) ausência da saída de 3,5mm; aqui temos apenas(?) 4GB de RAM, entretanto.

Ah, tem mais: se o P20 Pro não for o suficiente para a sua fome de luxo e poder, a Huawei lançará também uma versão especial do aparelho em parceria com a Porsche. O chamado Porsche Design Huawei Mate RS traz uma tela com resolução ainda maior (2880×1440 pixels, contra o painel Full HD+ do irmão mais “modesto”), 256GB ou 512GB de armazenamento e um segundo leitor de digitais, embutido na própria tela — por conta disso, o leitor secundário foi movido para a parte de trás nessa versão.

Todos os aparelhos rodam o Android 8.1 “Oreo” e chegarão ao mercado no dia 12 de abril… mas não nos Estados Unidos, por conta de problemas da Huawei com o governo americano. Na Europa, entretanto, eles custarão €650 (P20), €900 (P20 Pro) e — respirem fundo — €2.100 (Porsche). Salivaram?

via The Verge

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: