ARKit: mais de 13 milhões de apps já foram baixados, metade deles jogos; confira outros bons exemplos da tecnologia


O ARKit continua sendo uma das grandes apostas da Apple para o futuro próximo — basta ver que a plataforma foi destacada nominalmente na keynote da Maçã, ontem, como uma das armas da empresa na sua conquista do segmento educacional. E, falando do mercado de consumidores “comuns”, parece que as coisas também estão indo de vento em popa.

Uma pesquisa recente da Sensor Tower revelou que, desde o lançamento do iOS 11 (e dos primeiros apps tirando proveito da tecnologia, portanto), em 19 de setembro do ano passado, mais de 13 milhões de downloads de aplicativos baseados no ARKit foram realizados pelos usuários. Ou seja, sim: a plataforma está ganhando tração, e rápido!

Pesquisa da Sensor Tower sobre apps com ARKit, março de 2018

Analisando o gráfico acima, a primeira informação que fica clara é: o ARKit não dá sinais de desaceleração. Sua taxa de crescimento tem sido mais ou menos a mesma desde que ele veio ao mundo, e isso é uma ótima notícia para a Apple — se o ritmo permanecer nos próximos meses/anos, estamos olhando para a maior plataforma de realidade aumentada do mundo com alguma folga.

A Sensor Tower também quebrou esses 13 milhões de downloads entre categorias e, como era de se esperar, o segmento mais popular entre os consumidores dos apps de realidade aumentada é o dos games. Vejam só:

Pesquisa da Sensor Tower sobre apps com ARKit, março de 2018

Quase metade (47%) dos downloads contabilizados pela firma são jogos, o que cria um abismo entre essa categoria e as seguintes: os apps utilitários respondem por uma fatia de 14%, enquanto os de entretenimento são 12% e os de estilo de vida, 11%. Aplicativos de foto e vídeo, por sua vez, representam 6% dos downloads e os de educação, apenas 4% — o que mostra que a Apple terá que fazer uma forcinha extra para levar o ARKit às escolas e às mãos de professores e estudantes.

Pesquisa da Sensor Tower sobre apps com ARKit, março de 2018

O aplicativo gratuito que utiliza o framework ARKit com maior número de downloads é o simulador AR Dragon, da PlaySide Studio; já o app pago mais baixado (e com maior receita) é o CamToPlan Pro, que utiliza a tecnologia de realidade aumentada como uma ferramenta de medição.

É bom lembrar que a Sensor Tower está levando em consideração apenas aplicativos 100% baseados no ARKit e lançados após a sua disponibilidade; apps que já existiam antes e lançaram uma seção de realidade aumentada posteriormente, como Pokémon GO, não entram na contagem.

·   •   ·

Claro que, aproveitando o gancho, está mais do que na hora de falarmos de mais alguns exemplos do ARKit que encheram nossos olhos (e os olhos da internet em geral). Por exemplo: que tal essa versão de Street Fighter transportada para o mundo real?

O conceito criado pelo desenvolvedor Abhishek Singh (o mesmo que, alguns meses atrás, fez aquela bela homenagem a “O Chamado” no mundo real) admitidamente ainda parece um pouco lento e não muito favorável do ponto de vista da jogabilidade, mas pode se tornar algo muito legal com alguns ajustes. Eu apoio!

Não tão legal assim, porém digno de ser comentado devido à popularidade do bendito gato, é o projeto do “Walkie Talkie Cat”. Vocês certamente já viram na internet aplicativos de gatinhos fofos que repetem tudo o que você diz com uma voz insuportavelmente aguda, mas esse novo projeto da Nedd incorpora o ARKit na mistura para resultados muito mais fiéis. Vejamos:

Como uma espécie de Animoji um pouco mais perturbador, o gatinho se sai muito bem — e ao menos ele não transforma a voz da pessoa em uma coisa saída de algum degrau do inferno. A ideia é fazer da criação um adicional em aplicativos de comunicação, como chats de vídeo, ou de assistência remota (embora eu não veja muita possibilidade de as pessoas levaram a sério um gato antropomorfizado).

Se a ideia é falar de utilidade, entretanto, não dá pra deixar passar essa prova de conceito do desenvolvedor Adam Pickard. Ele pegou os novos catálogos em realidade aumentada da IKEA e os levou ao próximo nível, criando um manual de montagem interativo e inteligente no próprio smartphone para pessoas que não tenham muita destreza com aqueles montes de pedaços de madeiras, parafusos e porcas (ou seja, boa parte da população mundial).

O AssembleAR leria um código de barras na caixa do móvel em questão e apresentaria um manual “animado” na tela do celular, com todas as peças contidas no pacote e a ordem de montagem delas, auxiliando o usuário nas horas mais complicadas com dicas e animações.

Por enquanto a ideia não passa de uma demonstração, mas seria ótimo ver empresas de moveis abraçando a iniciativa e tornando a vida dos consumidores mais fácil, não é mesmo?

via TechCrunch; Cult of Mac: 1, 2

Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.

Posts recomendados

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: