Apple Pay Cash está ajudando plataforma a avançar; novos países serão adicionados em breve

Numa perspectiva mundial, o Apple Pay pegou — disso, ninguém duvida. Em vários aspectos, entretanto, ele ainda encontra dificuldades para fazer frente aos seus concorrentes — notadamente, o PayPal e o Walmart Pay. O que está contribuindo para que a plataforma de pagamentos da Maçã avance além dos seus competidores? Segundo a Bloomberg, o Apple Pay Cash.

A publicação fez uma reportagem apontando os desafios da Apple em expandir sua plataforma num ritmo superior ao das concorrentes e mostra que o sistema de envio de dinheiro entre usuários — por enquanto, disponível apenas nos Estados Unidos — foi um grande acerto por parte da Maçã, fazendo a empresa, nas palavras do analista Gene Munster, “recuperar muito do terreno perdido”.

Outro ponto que está fazendo o serviço deslanchar é a rápida adoção por parte de lojas, restaurantes e outros espaços comerciais. Há quatro anos, quando o Apple Pay foi lançado, eram 3% dos estabelecimentos nos EUA; até o final de 2018, esse número subirá para nada menos de 60%. Situação parecida é encontrada no Reino Unido, onde a plataforma da Maçã cresceu rapidamente por conta das estruturas já existentes de pagamento sem contato.

Apesar disso, muitos comerciantes ainda relatam que o Apple Pay representa uma parte pequena das suas vendas. O gerente de uma lanchonete bastante frequentada na Terceira Avenida, em Nova York, afirmou que cerca de 5% a 10% dos clientes utilizam o serviço da Maçã por lá — e muitos deles só o fazem quando percebem ter esquecido seu cartão de crédito ou débito.

No geral, segundo Munster, o desempenho do Apple Pay tem sido “decepcionante” em relação às expectativas originais da Apple: o analista afirmou que a empresa procurava construir todo um negócio de pagamentos e ser uma força disruptiva no segmento, mas nunca chegou a esse ponto.

Ainda assim, o terreno está aberto para a Apple: de acordo com o analista, a plataforma da Maçã é a única que está em todos os espaços de transação financeira possíveis, considerando estabelecimentos físicos, pagamentos em computadores, dispositivos móveis, dentro de aplicativos e também na transferência de dinheiro entre pessoas. Munster “ainda está otimista” de que o serviço pode alçar voos maiores e ser uma vantagem — ou uma razão para as pessoas comprarem iPhones e Apple Watches. Será?

Expansões

Obviamente, para que esse sucesso chegue, a plataforma tem que se preocupar em expandir-se o mais rápido possível. Felizmente, a Apple continua focada nisso e dois territórios importantes deverão receber o serviço em breve.

Segundo o jornal De Tijd, o Apple Pay deve chegar à Bélgica já em novembro, inicialmente pelo banco BNP Paribas Fortis; outras instituições deverão adotar a plataforma nos meses seguintes. Não está claro se o Apple Pay Cash entrará no esquema — mas provavelmente não, considerando que o recurso ainda sequer saiu dos EUA.

A milhares de quilômetros dali, a própria Apple anunciou que a plataforma chegará à Arábia Saudita “em breve”, sem especificar datas. A rede de pagamentos local MADA já confirmou que suportará a plataforma da Maçã, quando ela for disponibilizada no país.

Novo comercial

Por fim, a Apple disponibilizou recentemente mais um comercial do Apple Pay Cash dentro do conceito “Just text them the money”, que mostra conversas divertidas no iMessage envolvendo o recurso. Desta vez, duas pessoas tentam ser gentis uma com a outra… até que não.

Inverossímil (ao menos para mim 😝), porém divertido.

via MacRumors: 1, 2; AppleInsider

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes