Apple não estaria negociando com Qualcomm e se prepara para julgamento


Em mais um episódio da briga Apple vs. Qualcomm, uma pessoa familiarizada com o caso contou para a Reuters que a Maçã não está negociando com a fabricante de chips, pelo contrário: está se preparando para o julgamento.

Essa declaração vai de encontro à fala do diretor executivo da Qualcomm Steve Mollenkopf, o qual afirmou (em julho passado) que as empresas “estavam negociando” uma solução para a batalha judicial.

Continuamos a conversar. Também temos várias estratégias legais que estão em andamento e esperamos que, por meio da combinação desses dois caminhos, possamos chegar a uma solução, e estamos confiantes de que iremos.

O caso entre as gigantes da tecnologia deverá ser julgamento no ano que vem. Como consequência desse processo, a Qualcomm perdeu parte do seu negócio de chips para a Intel, que passou a fornecer os modems dos iPhones.

Impacto financeiro

Apesar do fim dessa parceria, a previsão de lucros da Qualcomm relacionada ao primeiro trimestre fiscal de 2019 deverá ficar acima das estimativas dos analistas, conforme divulgado pela Reuters. Porém, isso está relacionado ao benefício fiscal único de US$0,45 por ação que a empresa recebe durante esse período — sem este, o lucro por ação da Qualcomm poderia ser significativamente menor do que previsto.

De fato, o corte no fornecimento de chips para a Apple levou a uma queda brusca nas produções da Qualcomm para este período do ano (de cerca de 50 milhões de unidades). Isso levantou uma desconfiança entre os investidores e as ações da Qualcomm caíram mais de 4% após a divulgação da previsão de ganhos.

Nossas previsões notaram uma redução de mais de 50 milhões de unidades (de chips) no trimestre, tudo isso explicado pela ausência de telefones da Apple. Essa é realmente a diferença.

As previsões da Qualcomm para o seu primeiro trimestre fiscal, que termina em dezembro, apontam para uma receita entre US$4,5 bilhões e US$5,3 bilhões, com lucro por ação entre US$1,05 a US$1,15. Os analistas esperavam receitas de US$5,57 bilhões e lucros de US$0,95 por ação, segundo dados do IBES da Refinitiv.

Apple acusada de violar patentes de streaming de vídeo

Além do imbróglio com a Qualcomm, a Maçã tem que lidar ainda com processos diversos de infrações de patentes. Desta vez, ela foi processada pela Dynamic Data Technologies sob a alegação de infringir 11 patentes relacionadas a streaming e processamento e otimização de vídeo, como divulgado pelo AppleInsider.

À parte das questões burocráticas e técnicas do processo de 68 páginas, a Dynamic Data acusa a Maçã de violar as patentes em alguns de seus produtos como Apple TV, iPhones, iPads e até versões específicas do iOS. A empresa pede uma condenação por danos pela infração, um julgamento e uma ordem determinando que a violação da Apple foi “intencional, arbitrária, maliciosa, de má-fé, deliberada e conscientemente errônea”.

Ainda de acordo com o AppleInsider, há muitas indicações de que esse é mais um caso de patent troll, uma vez que o processo revelou que a Dynamic Data, com sede em Delaware (nos Estados Unidos), foi incorporada em abril deste ano e tem mais de 1.000 processos ativos de patentes que englobam “tecnologias centrais no campo do processamento de imagens e vídeos” (algumas adquiridas recentemente da Philips).

Esta não é a primeira vez — e nem será a última — que a Apple se envolve em processos com as famosas patent trolls; no mês passado, a Uniloc abriu sua oitava ação contra a Maçã por infração de patentes; outro exemplo clássico desse tipo de disputa é a extensa briga com a VirnetX.

via 9to5Mac: 1, 2

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: