Review/comparativo: charge stream vent mount (mophie) vs. Airframe Wireless (Kenu)


Desde que começaram a surgir no mercado smartphones com recarga “sem fio” (é por indução/contato) usando o padrão Qi, anos antes de a Apple implementar a tecnologia nos iPhones (a partir do 8), fui crítico dela. E devo dizer que minha opinião pouco mudou, de lá para cá.

Entendo perfeitamente o benefício de você só posicionar o telefone em cima de uma base para recarregá-lo, mas gastar dinheiro com um acessório extra para isso só para não ter a enorme dor de cabeça de espetar um cabinho ali embaixo é, para mim, um luxo. E não falo isso de forma pejorativa, afinal, eu mesmo me dei direito a esse luxo.

Para consumidores que gastam até — digamos — US$350-500 num smartphone, fazê-los investir US$50 ou até US$100 em acessórios para recarga sem fio eu acho demais. Por outro lado, para a galera que já está no patamar de gastar US$800-1.000, já é algo que não pesa tanto assim.

Praticidade é sempre bem-vinda, é só ajustarmos as expectativas para o tamanho do benefício que estamos recebendo ao investir em acessórios do tipo — até porque você não precisará mais conectar o cabinho, mas também perderá na performance de recarga da bateria. Ou seja, está longe de ser uma solução ideal.

Até pouco tempo atrás, eu só tinha uma base da mophie que deixo no criado-mudo da cama e é onde repouso meu iPhone antes de dormir. Como não tenho pressa para recarregá-lo, as minhas ~7h de sono são mais do que suficientes para todo dia eu acordar com 100% de bateria.

Nas últimas semanas, introduzi um segundo acessório na minha vida que também utiliza a tecnologia Qi: um suporte veicular para o iPhone. E, logo de cara, tive a oportunidade de testar dois produtos concorrentes para vocês — um da própria mophie, o charge stream vent mount, e o outro da mesma fabricante do antigo suporte veicular que eu usava (sem recarga), o Airframe Wireless da Kenu.

É incrível como dois produtos com a mesma proposta e preços similares podem ser, ao mesmo tempo, tão diferentes entre si. Testei os dois a fundo e trago todas as minhas impressões para vocês nos parágrafos a seguir.

Preço

É mais comum, em reviews de produtos, deixarmos para falar do preço deles lá no finalzinho. Mas, neste caso, achei importante situar vocês logo de início.

O charge stream vent mount sai, pelo site da mophie, por US$70. Já a Kenu vende o Airframe Wireless por US$60, isto é, US$10 a menos; ponto para ela.

Mesmo com essa pequena diferença de preços, ambos os acessórios estão mais ou menos num mesmo patamar premium para um suporte veicular com Qi. E, para mim, quando falamos de acessórios que envolvem a recarga de bateria do iPhone, o ideal é *não* economizar.

Explico: é perfeitamente possível economizar em capinhas/cases, películas e até suportes veiculares convencionais, sabendo que você não terá a mesma proteção de produtos mais caros. Só que, quando falamos de acessórios que envolvem recarga, eu prezo pela longevidade da minha bateria e, acima de tudo, pela minha segurança. Não faltam casos de smartphones pegando fogo ou explodindo por aí, muitos deles justamente usando cabos/adaptadores/acessórios vagabundos.

Sim, você encontrará no mercado — em ecommerces chineses, por exemplo — suportes veiculares com recarga Qi custando bem menos que esses dois da mophie e da Kenu (acabei de fazer uma pesquisa rápida aqui e vi uns de apenas US$15!). Mas, se optar por um desses, siga por sua conta e risco. Pode ser que você faça um ótimo negócio e não tenha problema nenhum; pode ser que não.

O que vem nas caixas?

Aqui já começamos a ver como esses dois produtos são diferentes.

charge stream vent mount da mophie

O da mophie vem com o suporte principal, um cabo Micro-USB de 0,8m, o adaptador para a saída de 12V do carro, um suporte estendido (falo mais dele a seguir) e uma base opcional com adesivo 3M para você colar no painel do carro — caso não consiga usar o charge stream vent mount diretamente numa saída de ar.

Já o da Kenu só vem com o suporte principal, um cabo USB-C de 1,2m e o adaptador para a saída de 12V do carro — só que este é duplo, com uma saída de 2,4A para quem quiser conectar outro cabo e recarregar outro dispositivo ao mesmo tempo.

Airframe Wireless da Kenu

Como podem ver, há pontos positivos de ambos os lados: o da mophie ganha pela variedade de adaptadores, mas perde para o da Kenu no comprimento do cabo (isso deve ser levado bastante em consideração, a depender de onde fica a saída de 12V do seu carro), no fato de ele não ser USB-C e no adaptador que não é duplo.

Performance de recarga

Nesse ponto, não há muito com o que se preocupar. Ambos os produtos oferecem até 10W de potência (QC 2.0/3.0), sendo que iPhones são limitados pelo iOS a usar no máximo 7,5W com bases de recarga Qi.

Na prática, não senti diferença nenhuma em performance de recarga entre os dois. O que muda, sim, é a área de contato: a do Airframe Wireless é bem maior, então nunca tive problema nenhum. Com o charge stream vent mount, houve algumas vezes em que tive que reposicionar um pouquinho o iPhone nele para a recarga iniciar. Ponto para a Kenu.

Antes que perguntem: sim, mesmo com a performance limitada da tecnologia Qi, o suporte consegue recarregar o iPhone mesmo com o Waze/Google Maps rodando durante o dia (com o brilho da tela no máximo). Óbvio que isso ocorre de forma lenta, mas o importante é que você consegue usar esses apps de GPS na boa sabendo que sua bateria está sendo recarregada e com toda a praticidade de nem ter que conectar um cabinho ali embaixo.

Ambos os suportes funcionam mesmo com o uso de capinhas convencionais nos smartphones, contanto que não sejam feitas de metal e/ou muito grossas (até 3mm).

Suporte/manuseio

Mais uma vez, temos aqui sistemas bem distintos entre os dois produtos.

O da mophie tem uma “garra” de borracha que você pressiona para prender à saída de ar do carro, enquanto o da Kenu se “abre” por meio de um botãozinho escondido na parte traseira do suporte. Embora diferentes nesse sentido, eu diria que isso pouco importa.

O que importa, sim, é como você ajusta o ângulo de uso do suporte veicular. O da Kenu é facilmente maleável, mas fica fixo depois que você o ajusta do jeito que você quiser. No caso da mophie, se você usar o adaptador padrão não há ajuste nenhum de ângulo (que é importante pro Face ID); com o adaptador estendido, você precisa soltar uma rodinha traseira, colocar no ângulo que quiser e depois atarrachá-la novamente. Não é fácil deixar exatamente do jeito que você quer, e acho que o da mophie também sacode mais com o carro em movimento.

Airframe Wireless da Kenu

Para prender o smartphone no suporte, ambos são bem parecidos e usam um mecanismo de mola para abrir os dois braços laterais com suas superfícies antiderrapantes. Ambos também são flexíveis o suficiente para oferecer compatibilidade com smartphones menores ou maiores — estou usando aqui com um iPhone XS Max, sem problemas.

Eu prefiro usar apps de GPS com o iPhone na vertical, mas em caso de necessidade também é bem fácil girar ambos os suportes para a posição horizontal. No da mophie você sente uns “cliques” em cada posição enquanto vai girando, enquanto o da Kenu é mais “livre” — mas nada que afete muito.

Conflito inesperado

Entre os dois produtos, eu comecei fazendo meus testes com o da Kenu e logo no primeiro dia notei algo bem curioso que pode ou não ser particular ao meu setup, por aqui, mas que não posso deixar de mencionar neste review.

No meu carro, gosto de posicionar o suporte veicular sempre na saída de ar que fica à esquerda da central multimídia do carro, que tem uma tela de 7″ sensível ao toque. Pois bem, quando o iPhone está no suporte (ou seja, recebendo energia), a touchscreen do carro simplesmente para de funcionar.

charge stream vent mount da mophie

A princípio, achei ser um conflito do Airframe Wireless com a touchscreen do meu carro e, aproveitando que ele vem com um cabo de 1,2m, reposicionei o suporte para a saída de ar que fica à esquerda do volante. Acho isso péssimo, pois não estou acostumado a olhar para ali, tenho que manusear o iPhone com a mão esquerda e ele ainda fica junto à janela do carro, facilitando possíveis roubos. Mas, sim: a essa distância da touchscreen, ela continua funcionando normalmente.

Foi só quando iniciei os testes do da mophie é que percebi que a mesma coisa acontecia com ele, também. Ou seja, provavelmente cria-se ali em volta do suporte um campo eletromagnético que conflita com a touchscreen do meu carro, inutilizando-a. E, pior: como o cabo que vem com o charge stream vent mount é de apenas 0,8m (50% menor), eu não tenho outra opção de posicionamento para ele no meu carro.

Acabei me conformando com esse conflito e me reacostumei a controlar a reprodução de músicas no carro pelos controles do volante ou pelo próprio iPhone. Claro que, nas raras vezes em que preciso manipular a touchscreen para alguma outra coisa, aí eu preciso tirar o iPhone do suporte para que ela volte a funcionar. Bizarro.

Conclusão

Como eu disse lá no começo, esses são dois produtos ao mesmo tempo bem parecidos e diferentes. Ambos não decepcionam e justificam o preço pago por eles.

Eu não diria que nenhum deles é uma má compra, mas para o meu uso definitivo no carro optei pelo da Kenu. Gostei mais da facilidade para ajustar o ângulo dele, não tenho que me preocupar muito em posicionar o iPhone para a recarrega funcionar e ainda tenho um adaptador duplo — minha esposa, por exemplo, já usou a segunda porta USB para recarregar o iPhone dela junto do meu.

E vocês, já usam aí algum suporte veicular com recarga Qi? 😉

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: