Desenvolvedor expõe “truques” aplicados na App Store

Que a App Store é uma fonte bilionária, não é uma novidade. Contudo, ainda que parte desse montante esteja relacionado com a cobrança recorrente a partir de assinaturas, há desenvolvedores que aproveitam algumas brechas (e a confiança dos usuários) para aplicar verdadeiros golpes por meio de determinados apps, conforme divulgou David Barnard no seu blog.

O desenvolvedor já explicou algumas assinaturas enganosas na App Store e, desta vez, se aprofundou no assunto, mostrando os dez “truques” mais conhecidos que são aplicados na loja de apps da Apple.

Nem todos os “truques” possuem como objetivo enganar o consumidor, fazendo-o por exemplo assinar um serviço que não queria; alguns apenas se aproveitam dos algoritmos usados pela Apple para ficarem no topo de pesquisas ou então aparecer nas buscas da App Store em diversos países.

Entre os pontos mais absurdos — e comuns, infelizmente —, os desenvolvedores implementam uma página de assinatura do app ao abri-lo pela primeira vez e o botão do estilo “Continuar com o período de teste” longe do valor cobrado pela assinatura.

Se até aí você acha que está “tudo bem”, veja só essa: em alguns casos, o botão para fechar a página de assinatura é ocultado por alguns segundos, de forma que os usuários se sintam obrigados a tocar no botão de assinatura para conseguirem usar o aplicativo. O próprio Barnard registrou um desses casos, no qual o botão para fechar a página aparecia seis segundos após entrar na página de assinatura.

US$8 por semana para papéis de parede. O botão para fechar aparece cerca de 6 segundos depois de chegar à paywall. Este aplicativo está fazendo mais de US$500.000 por mês (a partir de uma fonte confiável) e está classificado #79 na lista “Top grátis”. Estou com a impressão de que a Apple não se importa.

Além disso, há casos em que a janela de assinatura aparece aleatoriamente na tela, e quando donos iPhones com Touch ID tentam fugir da página de cobrança, acabam autenticando, acidentalmente, a compra a partir do botão de Início, conforme alertado no vídeo acima.

Quando não é a janela de assinatura, são os popups com anúncios exibidos a cada minuto, “obrigando” o consumidor a pagar pela remoção dos anúncios em prol da experiência de usuário. Em outros meios de tapear o consumidor, os desenvolvedores promovem outros aplicativos dentro daqueles que foram baixados pelo usuário, novamente a partir de popups que surgem aleatoriamente na tela.

Olhe para esses comentários. O desenvolvedor está claramente comprando avaliações falsas para manter a média, contra um ataque de avaliações de 1 estrela de usuários reais.

Barnard contou ainda que, depois que o aplicativo é lançado na App Store, desenvolvedores começam a comprar classificações e resenhas falsas — o que viola de todas as formas as diretrizes da Apple, porém continuam acontecendo. Para ele, dada a preocupação da Maçã com privacidade e experiência dos usuários no iOS, é aterrorizante ver que consumidores da companhia sejam vítimas de tamanha manipulação e fraude.

Por fim, o desenvolvedor destaca que há maneiras de ter sucesso na App Store sem a necessidade de “truques” ou, pior, de aplicar golpes. Porém, justamente devido a essa situação, isso tem se tornado mais difícil do que deveria ser. Confira a publicação completa no blog do desenvolvedor.

via The Loop

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes