Review: My Passport SSD, da WD, adiará a troca do meu MacBook Pro


Não tenho muito o que me queixar do meu MacBook Pro atual. Trata-se do modelo 2016 de 15 polegadas, com processador Intel Core i7 de 2,7GHz, 16GB de RAM, GPU dedicada AMD Radeon Pro 455 (com 2GB de VRAM)… enfim, tudo ao que tenho direito. Eu certamente teria algum ganho de performance atualizando pra geração 2018, mas não é algo que está me incomodando e as outras coisas pouco mudaram de lá para cá.

Mas tem, sim, algo que me incomoda nesta máquina: o SSD interno. Não digo pela performance dele, que é bastante satisfatória, mas pela sua capacidade. Peguei um de 512GB e, embora seja espaço suficiente para muita gente, no meu caso é pouco. Tenho muitos aplicativos instalados, coletâneas de fotos bem grandes, uma respeitável biblioteca de músicas (da época em que as comprava na iTunes Store) e por aí vai. E o maior gargalo de todos: vídeos, especialmente os que edito profissionalmente usando o Final Cut Pro X.

Eu já tomei algumas providências aqui para tentar liberar espaço do SSD interno, como hospedar algumas coisas na nuvem (boa parte no próprio iCloud) e mover outras menos usadas para o meu HDD externo (tenho um da LaCie, de 4TB). Mas o fato é que constantemente vejo o espaço interno apertar e hoje não consigo ter muito mais do que 60-80GB livres — o que é bem pouco para quem trabalha com edição de vídeo.

Por um bom tempo, não tive outra alternativa senão usar o meu próprio HDD externo para editar vídeos. Como vocês podem imaginar, a experiência era terrível devido ao gargalo de performance de um disco rígido convencional. Estamos quase em 2019, não dá.

Posto isso, eu estava seriamente considerando trocar de Mac este ano e pegar um novo MacBook Pro com pelo menos 1TB de SSD interno, preferencialmente com 2TB pensando no longo prazo. Mas, antes disso, resolvi experimentar um novo drive externo — desta vez um SSD — e mudei de ideia. A seguir, vocês entenderão por que o My Passport SSD, da Western Digital, me fez adiar a ideia de trocar de MacBook Pro.

WD My Passport SSD

Antes de mais nada: meu Deus do céu, como esse negócio é pequeno e leve! Eu tomei um susto quando abri a caixinha dele e me deparei com o que é: são 45x90x10mm, pesando apenas 40 gramas. A sensação é de que ele é oco e dá para levá-lo tranquilamente no bolso da calça; a WD diz, inclusive, que ele suporta na boa quedas de até 2m.

O design é muito bonitinho e discreto, com uma parte preta lisa e a outra metalizada, com um aspecto meio ondulado. O modelo que experimentei é de 1TB, mas ele tem também versões de 256GB, 512GB ou até 2TB.

WD My Passport SSD

Na parte inferior temos apenas uma única porta USB-C, perfeita para alguém com um Mac como o meu (mas inclui também um adaptadorzinho para USB-A). O cabo incluso tem 40cm de comprimento, mais do que ideal para o propósito desse SSD externo (por mim, poderia ser até mais curto), e ele mesmo alimenta o drive — isto é, não requer uma fonte externa.

Não há muito o que falar do uso do drive em si, é como qualquer outro. Eu sempre gosto de formatar os meus antes de começar a usá-los, e optei por já adotar o Apple File System (APFS) no My Passport SSD, já que é um sistema de arquivos bem otimizado para memórias flash.

My Passport SSD no Utilitário de Disco

Quem não quiser fazer isso, pode optar inclusive por usar o software WD Security e ativar criptografia AES de 256 bits no SSD para segurança total dos dados nele armazenados, bem como o WD Backup para fazer cópias de segurança (embora ele também seja compatível com o Time Machine do macOS).

Tanto o meu SSD quanto o HDD são dispositivos externos que precisam ser conectados ao Mac, é claro. Mas o SSD dá um banho em praticidade considerando as suas dimensões e o seu peso; além disso, como não tem partes móveis internas, dá para usá-lo “pendurado” (balançando) sem problemas em caso de necessidade.

O que me deixou realmente feliz da vida com o My Passport SSD e cravou os planos de não trocar de MacBook Pro, por ora, foi a sua performance. Ele obviamente não chega aos pés do SSD interno da máquina, mas é infinitamente melhor que o HDD. Melhor do que eu tentar explicar, é vocês verem testes práticos realizados pelo Blackmagic Disk Speed Test:

Teste de performance de drive

SSD interno do MacBook Pro

O SSD interno atinge 1.628MB/s de escrita e 1.548MB/s de leitura, o suficiente para ter os “checks” verdes em toda a tabela de referência do app para edição de vídeo. Até aqui, nenhuma surpresa.

Teste de performance de drive

HDD externo da LaCie

Aqui, vocês veem o terror que eu estava passando para editar vídeos com o HDD. Ele registrou apenas 66MB/s de escrita e 50MB/s de leitura, ou seja, é mesmo extremamente limitado em performance.

Teste de performance de drive

My Passport SSD

Chegamos, então, ao My Passport SSD. Não atingi no teste os 515MB/s prometidos pela WD, mas cheguei perto: 303MB/s de escrita e 451MB/s de leitura. Veja que poucos “checks” verdes não são ativados, nele — e para mim, que só trabalho hoje com capturas em Full HD 1080p mesmo, é mais do que suficiente.

E observem que curioso: o My Passport SSD é 4,6x mais rápido que o HDD em escrita e 9x em leitura, enquanto o SSD interno do Mac é 5,4x mais rápido que ele em leitura e 3,4x em escrita. Ou seja, é como se ele estivesse bem ali no meio entre os dois.

Também testei a tradicional transferência de arquivos do SSD interno do Mac para os dois drives externos: um arquivo de vídeo de 1,95GB demorou 32 segundos para o HDD externo e apenas 6 segundos(!) pro SSD externo, corroborando o benchmark do Blackmagic.

E sim, posso lhes confirmar que minha experiência tem sido bastante satisfatória. Adoraria ter 1-2TB internos no meu Mac para poder trabalhar em velocidade full e não ter que deixar nada “pendurado” nele, mas sendo esse o único motivo que me faria trocar hoje de Mac, a opção de um produto como o My Passport SSD é infinitamente mais cabível considerando o investimento que eu teria que fazer num MacBook Pro novo e ainda com o seu SSD atualizado — já que mesmo os modelos de 2018 não vêm, em suas configurações padrão, com mais de 512GB de capacidade (uma vergonha).

O exato modelo testado por mim, o My Passport SSD de 1TB, pode ser encontrado em lojas online como Pontofrio, Extra e Casas Bahia por R$1.799, valor que pode ser parcelado em até 12x sem juros. Ele conta com três anos de garantia limitada da fabricante e é compatível tanto com Macs quanto com PCs.

Aos que estão numa situação parecida com a minha, recomendo de olhos fechados.

Prós

  • Absurdamente compacto e leve;
  • Performance bastante satisfatória;
  • É alimentado pelo próprio cabo USB-C.

Contras

  • SSDs ainda continuam bem mais caros que HDDs;
  • Não deixa de ser um dispositivo que você precisa conectar ao Mac;
  • O cabo poderia ser um pouco mais curto.
Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: