Tim Cook sobre ECG: “Melhorar a saúde dos usuários é a maior contribuição da Apple à humanidade”


O watchOS 5.1.2 já está entre nós e, com ele, chegou o tão aguardado recurso de eletrocardiograma (ECG) no Apple Watch Series 4 — isto é, para os usuários dos EUA (ou quem tiver comprado o relógio por lá). Para marcar a novidade, o CEO Tim Cook e o COO Jeff Williams concederam uma entrevista à revista TIME falando sobre os desafios e benefícios do novo recurso do Watch.

Cook não é nada modesto em relação à novidade e às iniciativas de saúde em geral promovidas pela Apple nos seus produtos de uns anos para cá. Segundo o CEO, “a maior contribuição da Apple à humanidade será na melhora da saúde e bem-estar das pessoas” — um indicativo de que os planos da empresa na área só estão começando.

Williams, por sua vez, afirmou que o sucesso da Apple na área de saúde tem uma explicação simples — sua base gigantesca de usuários.

Nós temos dezenas de milhões de relógios nos pulsos das pessoas e centenas de milhões de telefones nos seus bolsos. Existe uma oportunidade enorme de empoderar as pessoas com mais informação sobre sua saúde. Então isso é algo que nós vemos não só como uma oportunidade, mas como uma responsabilidade nossa.

A matéria da TIME traça ainda uma linha do tempo das iniciativas de saúde da Apple, começando pelo app Saúde (Health), lançado em 2014 (três anos após a morte de Steve Jobs por câncer de pâncreas, como lembra o artigo), seguindo com os sensores do Apple Watch e com o estudo cardíaco lançado pela empresa em 2017 em parceria com a Universidade de Stanford, chegando a um dos seus pontos mais importantes agora, com o lançamento do ECG no Apple Watch Series 4.

Williams lembrou que o recurso do reloginho não tem como proposta substituir completamente um exame de eletrocardiograma normal, mas complementá-lo; apesar disso, ele afirmou que a FDA (a equivalente americana da nossa Anvisa) foi “muito rigorosa, como deveria ser” nos testes com o recurso.

Essas novas inovações de monitoramento cardíaco vão mudar vidas — outro exemplo de como a humanidade pode moldar a tecnologia para o bem. Nós acreditamos que o nosso trabalho para ajudar as pessoas a cuidar melhor da sua saúde vai estar entre as maiores contribuições da Apple.

É bom notar que a entrevista à TIME não foi a única de Williams: o executivo apareceu hoje pela manhã no televisivo CBS This Morning ao lado da Dr. Sumbul Desai, vice-presidente de saúde da Apple que veio da faculdade de medicina de Stanford e, atualmente, coordena os projetos da área no Apple Watch — incluindo o ECG.

Na reportagem exibida pelo jornalístico, Williams disse que sim, o Apple Watch poderá apresentar alguns falsos-positivos entre as suspeitas de fibrilação atrial exibidas aos seus usuários; esse cenário, entretanto, é muito melhor do que a alternativa na qual outras milhões de pessoas poderiam seguir com esse problema (que pode levar a coisas mais graves, como infarto ou AVC) sem sequer uma suspeita de que ele estaria acontecendo.

O vídeo completo da reportagem pode ser assistido abaixo:

Quem já testou o ECG no Apple Watch por aí? Opiniões?

via 9to5Mac

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: