Ao contrário de iPhones, Androids são enganados por cabeça impressa em 3D

Ao mesmo tempo em que as fabricantes de smartphones se preocupam com a praticidade e a facilidade de uso dos seus dispositivos, elas também devem se atentar à segurança dos aparelhos. Essa linha fica cada vez mais tênue com o avanço das tecnologias de autenticação biométrica — atualmente, nossas informações estão a um rosto de distância.

Quanto à praticidade, realmente é muito simples levantar e olhar para o seu smartphone a fim de desbloqueá-lo; já no quesito segurança, um teste realizado pelo jornalista Thomas Brewster (da Forbes), com uma cabeça impressa em 3D, mostrou algumas situações nas quais essa tecnologia pode não ser a mais confiável.

Para realizar o teste, Brewster procurou uma empresa que imprime moldes em 3D no Reino Unido. Em um estúdio, cerca de 50 câmeras registraram um ângulo específico do seu rosto e, em seguida, um software combinou as fotos para produzir uma imagem 3D completa, usada na confecção do molde.

O jornalista, então, configurou seu rosto “real” em cinco dispositivos diferentes: iPhone X, LG G7 ThinQ, Samsung S9, Samsung Note8 e OnePlus 6 e verificou em qual deles a cabeça impressa em 3D conseguia desbloquear o aparelho. Surpreendentemente (ou não), os quatro dispositivos Android foram desbloqueados pelo rosto “falso” — cada um com um número de tentativas diferente. O fato é que o único que não foi “enganado” pelo molde foi o iPhone X.

O teste não oferece um resultado claro já que não compara dispositivos com tecnologias de reconhecimento facial equivalentes; nos dispositivos Android, inclusive, esse recurso não é recomendado pelas fabricantes como método de autenticação principal, ao contrário do iPhone. O LG G7, por exemplo, indicou que “o reconhecimento facial é um método de desbloqueio secundário que resulta em menos segurança no seu telefone”.

Também não foi informado se a opção “Exigir Atenção para o Face ID” estava ativada no iPhone ou não; julgando que sim, então o dispositivo não conseguiu reconhecer o molde 3D já que fornece um nível a mais de segurança, conforme explicado pela Apple:

O Face ID também é sensível à atenção. Ele reconhece se os olhos estão abertos e se a atenção está voltada para o dispositivo. Isso torna ainda mais difícil para que alguém desbloqueie o dispositivo sem que você saiba (caso você esteja dormindo, por exemplo).

Além do iPhone X, a tecnologia “Windows Hello” da Microsoft também não reconheceu o molde em 3D e, portanto, não desbloqueou o dispositivo. Confira o teste completo aqui.

dica do @SandersonBittencourt, via MacRumors

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes