CEO do Waze diz que deve muito à Apple e celebra anualmente o “Dia de Tim Cook”


Em dez anos de existência, o Waze escalou rapidamente as paredes dos mapas digitais para tornar-se uma das mais populares opções do mundo no segmento. Seu maior diferencial, o aspecto colaborativo da plataforma, foi o principal motivo que levou o Google a puxar a carteira e desembolsar quase US$1 bilhão pelo serviço em 2013.

Mesmo com essa bolada e com o fato milagroso de estarmos falando de um serviço que o Google comprou e deixou vivo, entretanto, a maior gratidão lá na sede do Waze não é para com a gigante de Mountain View e sim direcionada a uma de suas principais concorrentes: a Apple.

Em entrevista ao Business Insider Australia, o CEO da plataforma, Noam Bardim, não economizou palavras ao se referir à Apple como a maior responsável pelo sucesso do Waze, acrescentando que é eternamente grato à empresa e especialmente a Tim Cook — que tem o seu próprio “Dia de Homenagens” celebrado anualmente lá na sede do serviço.

Noam Bardim, CEO do Waze

Noam Bardim

A parte mais engraçada da história é que a gratidão de Bardim é decorrente de um dos momentos mais embaraçosos da história recente da Apple: o lançamento desastroso da sua própria plataforma de mapas, em 2012. Aos que não lembram muito bem, o serviço da Maçã (lançado no iOS 6 em substituição ao app nativo do Google Maps, numa época em que a Apple estava querendo se descolar do Google em todos os aspectos possíveis) foi pessimamente recebido na sua estreia, com críticas uniformemente desfavoráveis em relação ao serviço do Google que ele tentava substituir.

A chacota foi tão grande que a Apple se viu obrigada a emitir um pedido de desculpas público. Na carta, Tim Cook tomou a atitude inédita de recomendar serviços concorrentes ao da Maçã, como o Bing Maps, o MapQuest e… sim, ele mesmo, o Waze. A partir daí, as coisas explodiram, segundo Bardim:

Aquele foi o momento em que estouramos. Dali em diante, as coisas começaram a tomar ritmo, eventualmente chegando à aquisição [pelo Google] em 2013.

O tal do “Dia de Tim Cook”, celebrado lá na sede do Waze, é comemorado todos os anos no dia 28 de setembro — exatamente a data em que o CEO da Apple publicou a carta aberta explicitamente recomendando o serviço a seus usuários.

Na entrevista, Bardim falou de outros aspectos da história do Waze, como o fato de que, no início do seu desenvolvimento, a ideia seria criar um serviço focado especialmente na plataforma da BlackBerry — então uma das principais fabricantes de smartphones do mundo. No meio do caminho, ficou decidido que o foco seria convertido para o iOS, o que provavelmente foi a melhor escolha.

Apesar da gratidão infinita à Apple e a Cook, Bardim compartilhou também uma dica bem importante elogiando a compradora do Waze:

Se você for vender sua companhia, venda pro Google. Sério.

Bom, se ele está dizendo…


Ícone do app Waze – GPS e Trânsito ao vivo

Waze – GPS e Trânsito ao vivo

de Waze Inc.

Compatível com iPadsCompatível com iPhones
Versão 4.47.3 (169.1 MB)
Requer o iOS 10.0 ou superior

Grátis

Badge - Baixar na App Store

Código QR Código QR

via iPhone Hacks

Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.

Posts recomendados

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: