Confirmando previsão, Apple divulga receita de US$84,3 bilhões no seu primeiro trimestre fiscal de 2019 [atualizado]

A Apple acaba de divulgar os resultados financeiros referentes ao seu primeiro trimestre fiscal de 2019, finalizado no dia 29 de dezembro de 2018.

Os números eram bastante aguardados, visto que no começo deste mês Tim Cook enviou uma carta a investidores fazendo a primeira revisão negativa nas expectativas de receita da companhia em cerca de 15 anos. Quando divulgou os resultados do quarto trimestre fiscal de 2018, a Apple previa para este uma receita de US$89-93 bilhões — em sua revisão, Cook abaixou a expectativa para US$84 bilhões.

Dito e feito: a receita trimestral da Apple ficou exatamente em US$84,3 bilhões (5% a menos que no primeiro trimestre fiscal de 2018), com um lucro líquido de US$20 bilhões (queda de 0,5%) e ganhos por ação diluída de US$4,18 (crescimento de 7,5%). Vendas internacionais compreenderam 62% de todo o faturamento do período.

Como a $AAPL já recuperou todo o baque após a carta de Cook, espera-se que Wall Street não mais reaja negativamente aos números divulgados hoje.

Uma coisa que muda, a partir desta divulgação de resultados, é que a Apple infelizmente não mais detalha as vendas de iPhones, iPads e Macs por unidades. A receita do iPhone caiu 15% em relação ao ano passado, mas a receita de todos os produtos e serviços cresceu 19%.

A Apple revelou que o seu segmento de Serviços atingiu um novo recorde histórico de US$10,9 bilhões em receita, 19% a mais que no primeiro trimestre fiscal de 2018. Receitas de Macs e Vestíveis, Casa e Acessórios também bateram recordes históricos, crescendo 9% e 33%, respectivamente, enquanto a receita de iPads subiu 17%.

Eis a declaração do diretor executivo (CEO) Tim Cook:

Embora tenha sido decepcionante errar nossa expectativa de receita, nós gerenciamos a Apple no longo prazo, e os resultados deste trimestre demonstram que a força essencial do nosso negócio é profunda e ampla. Nossa base instalada de dispositivos ativos atingiu uma alta histórica de 1,4 bilhão no primeiro trimestre, crescendo em cada um dos nossos segmentos geográficos. Isso é um grande testamento à satisfação e à lealdade dos nossos consumidores, e está empurrando nosso negócio de Serviços para novos recordes graças ao nosso ecossistema largo e em rápido crescimento.

E a do diretor financeiro (CFO) Luca Maestri:

Nós geramos um fluxo de caixa operacional bem forte de US$26,7 bilhões durante o trimestre de dezembro e registramos um novo recorde histórico de ganhos por ação diluída, de US$4,18. Nós devolvemos mais de US$13 bilhões aos nossos investidores durante o trimestre por meio de dividendos e recompra de ações. Nosso balanço líquido em dinheiro foi de US$130 bilhões ao final do trimestre, e continuamos mirando uma posição neutra de caixa líquido com o tempo.

Olhando à frente para o segundo trimestre fiscal de 2019, a Apple prevê uma receita de US$55-59 bilhões, margem bruta entre 37% e 38%, gastos operacionais entre US$8,5 e US$8,6 bilhões, outras receitas/(despesas) de US$300 milhões e uma taxa de impostos de aproximadamente 17%.

O conselho administrativo da Apple declarou um dividendo em dinheiro de US$0,73 por ação comum da companhia, pagável em 14 de fevereiro de 2019 a todos os acionistas registrados ao término dos negócios em 11 de fevereiro de 2019.

Daqui a pouco, a partir das 20h (pelo horário de verão de Brasília), a Apple realizará uma conferência em áudio para falar desses números e responder perguntas da imprensa. Posteriormente, faremos uma cobertura completa com os destaques do que rolar por lá aqui no MacMagazine.

Atualização 29/01/2019 às 19:50

Como previsto, a $AAPL não foi mais impactada negativamente pelos números. Muito pelo contrário: nas negociações pós-fechamento dos pregões da NASDAQ, ela está disparando agora quase 4%.

Wall Street curtiu.

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes