Apple registra Touch ID que funciona em qualquer lugar da tela

Nós não costumamos cobrir novas patentes registradas pela Apple por um motivo muito simples: dezenas/centenas delas são registradas, mas isso não necessariamente significa que veremos tal invenção sendo implementada em algum produto ou serviço. Muitas vezes, se trata apenas de registrar uma nova tecnologia que foi inventada (quem sabe até mesmo para impedir que a concorrência utilize algo similar), por exemplo, sem qualquer relação com protótipos e planos para um uso especifico. Outras, porém, não temos como ignorar pois acertam em cheio o desejo popular. É o caso da patente 10.198.610, que cobre “codificação de pulso acústico para imagens de superfícies de entrada”, como informou o AppleInsider.

O nome é esquisito, mas a descrição é muito interessante, já que explica como o som pode ser aplicado numa superfície para detectar como um outro objeto entra em contato com ele. De forma resumida, uma matriz de transdutores acústicos, posicionada em contato com a superfície, pode transmitir um sinal de impulso codificado em resposta a um toque. Ao monitorar e receber as reflexões de múltiplos sinais codificados, poderia então ser gerada uma imagem com base nesse toque. Os impulsos sonoros são enviados e entram em contato com as cristas da impressão digital do usuário. Essas cristas interrompem o trânsito do impulso e são refletidas, com essas reflexões sendo interpretadas numa imagem de impressão digital que pode ser devidamente analisada. Ufa…

Conclusão: isso poderia permitir que uma impressão digital fosse lida ao pressionar o seu dedo em qualquer parte da tela de um iPhone. Isso mesmo, um Touch ID ocupando toda a tela do iPhone! Você poderia encostar no meio, na parte superior, inferior… não importa! O iPhone reconheceria o seu dedo.

Os benefícios dessa tecnologia (em comparação com a existente) são muitos: pouca espessura para os componentes (que podem ser colocados distantes de outros), o fato de não ser necessário colocar eletrodos no display, menor poder de processamento (tornando a autenticação mais rápida), etc.

Mulher usando o Face ID do iPhone X

É praticamente um consenso que o Face ID veio para ficar e que dificilmente veremos o retorno do Touch ID. Por outro lado, muita gente ainda prefere um reconhecimento biométrico pela digital em vez de pelo rosto, e uma nova tecnologia capaz de fazer esse tipo de reconhecimento em toda a tela não seria nada mal. Vale notar, contudo, que a própria Apple já registrou outras patentes de possíveis novos leitores de impressão digital (uma em fevereiro e outra em agosto de 2017), então esse definidamente não é um movimento incomum.

Particularmente, duvido muito que a Apple relance o Touch ID, já que seria atestar uma má recepção ao Face ID (que, por mais que alguns não tenham gostado, está longe ser odiado pelos usuários). Ainda mais agora, que tudo indica estarmos diante de uma segunda geração da tecnologia (que poderá vir com melhorias no ângulo e na distância do reconhecimento, entre outras coisas).

Também acho muito difícil a Apple manter dois sistemas biométricos num mesmo aparelho, como muitos fabricantes de Android fazem — a história da empresa nos mostra que ela “decide o que é melhor para o usuário” e defende essa ideia com unhas e dentes. Por outro lado, seria interessantíssimo ver algo assim sendo lançado, não é mesmo?

dica do @bearded30, via Forbes

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes