Berkshire Hathaway reduz participação na Apple, mas Warren Buffett continua otimista

Não é novidade para ninguém que a Berkshire Hathaway, empresa do magnata Warren Buffett, é uma das maiores investidoras da Apple no mundo. Da última vez em que falamos sobre o assunto, a companhia continuava comprando ações da Maçã (aproveitando o momento de baixa) e já detinha cerca de 5% da gigante de Cupertino. Agora, essa participação foi levemente reduzida.

Em documentos recentes enviados à U.S. Securities and Exchange Commission (Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos), a Berkshire Hathaway relatou que, até 31 de dezembro 2018, tinha reduzido seu número de papéis da Apple para 249,6 milhões de ações. Em setembro passado, Buffett e sua empresa eram donos de 252,5 milhões de ações — ou seja, cerca de 3 milhões de papéis foram vendidos pela investidora. No momento, o conjunto de ações de Buffett vale cerca de US$40 bilhões.

No mesmo período, a Berkshire Hathaway vendeu toda a sua participação de US$2,3 bilhões na Oracle (um movimento raro, considerando que as ações da empresa de Larry Ellison tinham sido compradas ainda em 2018) e adquiriu participações na canadense Suncor Energy e na desenvolvedora Red Hat.

É bom lembrar que esses dados referem-se somente a transações realizadas até o fim de 2018, o que significa que não estamos vendo neles possíveis reflexos dos eventos recentes na Apple — principalmente a carta de Tim Cook informando investidores sobre a queda de vendas de iPhones e o anúncio dos mais recentes resultados financeiros da empresa, que mostraram uma redução de 15% nas receitas provenientes dos smartphones da Maçã.

Buffett também conseguiu manter poder de voto no painel de acionistas da Apple (reservado a pessoas ou empresas com mais de 5% das ações da companhia) porque detém, no total, cerca de 255 milhões de ações. Isso acontece porque, além dos papéis de propriedade da própria Berkshire Hathaway, a investidora também possui ações compradas por ela em nome de outras empresas que representa.

Além disso, é importante notar que a venda das ações da Apple não foi feita por Buffett em si. Em email enviado à Reuters, uma representante do magnata explicou que a transação foi realizada por outro executivo da Berkshire Hathaway, com a intenção de comprar ações de uma outra empresa não-especificada. Nenhum dos papéis de Buffett foi vendido, o que indica que o investidor continua otimista como sempre com a Maçã — mesmo em tempos revoltos.

via AppleInsider

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes