Equipe da Lighthouse AI se junta à Apple; ex-Microsoft é contratado

No começo deste mês, divulgamos uma notícia (relativamente) atípica sobre a aquisição de um aglomerado de patentes pela Apple. Como vocês devem saber, a gigante de Cupertino não tem muita afinidade com a burocracia em torno das propriedades intelectuais e é mais comum vermos ela adquirindo empresas em vez de patentes.

Ainda que não tenha comprado a Lighthouse AI, companhia especializada em câmeras de segurança residenciais, a Maçã fez mais do que apenas adquirir suas patentes: ela também abocanhou uma parcela da equipe, incluindo seus cofundadores, como noticiou o The Information1.

Mais precisamente, cerca de 20 funcionários da empresa foram para Cupertino, onde continuarão trabalhando com alguns projetos que começaram a ser desenvolvidos na Lighthouse. Como dissemos, a empresa anunciou o fim das suas atividades no ano passado, alegando “não ter alcançado o sucesso comercial que estava procurando”.

Antes de tudo isso, a Lighthouse estava coletando dados de câmeras para melhorar seu aprendizado de máquina e oferecer recursos de reconhecimento facial semelhantes àqueles adquiridos pela Apple com as patentes.

A equipe deverá continuar trabalhando com esse projeto na Apple, embora não esteja claro como a Maçã planeja usar a tecnologia da Lighthouse no futuro, segundo uma pessoa familiarizada com o assunto.

Apple contrata ex-Microsoft

No último mês, a Apple contratou o ex-Microsoft (e CEO2 da extinta marca de fechaduras inteligentes Otto) Sam Jadallah, para liderar a sua divisão de produtos domésticos inteligentes. O executivo confirmou a nova empreitada na sua página do LinkedIn.

De acordo com a CNBC, a contratação de Jadallah é o sinal mais recente de que a Apple planeja alavancar seus esforços e sua participação no mercado de dispositivos domésticos, dominado pela Alphabet e pela Amazon.

Depois de mais de um década como vice-presidente corporativo da Microsoft, Jadallah fundou, em 2013, a Otto, uma empresa que desenvolvia fechaduras inteligentes — algumas custavam até US$700! A empresa, contudo, não viveu por muito tempo e fechou as portas depois de quatro anos, em 2017 — logo após um dos seus últimos produtos ter sido lançado.

Antes mesmo de ter suas atividades encerradas, a Otto já possuía uma certa conexão com a Apple. Segundo o executivo, cerca de 70% dos membros iniciais da empresa vieram da Maçã, e, após o lançamento dos primeiros produtos, ela ficou conhecida no mercado como “a Apple das fechaduras inteligentes”.

A contratação de Jadallah não foi o único movimento da Maçã nessa área recentemente; em fevereiro passado, informamos que a companhia havia adquirido a Pullstring, uma startup especializada em aplicativos de voz que poderá ajudar a gigante de Cupertino a alcançar nossos horizontes nesse mercado.

via MacRumors, Business Insider

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes