Apple quer desenvolver seus próprios sensores para carros autônomos

Que a Apple gosta de controlar todos os aspectos de seus produtos, isso não é novidade para ninguém. Não é à toa que a empresa está desenvolvendo o seu próprio modem 5G, a fim de resolver a questão de fornecimento desse componente vital dos iPhones de uma vez por todas.

A boa da vez, informa a Reuters, tem a ver com o “Projeto Titan” (relacionado a carros autônomos). Segundo a agência de notícias, a Apple está interessada em criar os seus próprios sensores para carros autônomos — chamados de LiDAR1, uma tecnologia óptica de detecção remota que mede as propriedades da luz refletida de modo a obter a distância e/ou outra informação a respeito um determinado objecto distante (basicamente, é algo essencial para que o carro saiba o que está acontecendo à sua volta); paralelamente, a Maçã está também conversando com pelo menos quatro possíveis fornecedoras desses sensores, avaliando qual seria o melhor movimento.

A Apple está interessada em sensores menores, mais baratos e que sejam mais fáceis de serem produzidos em massa do que a tecnologia atual, de acordo com as tradicionais fontes “familiarizadas com o assunto”. Como sempre, a empresa estabeleceu “um alto padrão de demanda por um design revolucionário”, teria dito uma dessas pessoas. Ela quer, por exemplo, que esses sensores sejam capazes de enxergar a centenas de metros numa estrada.

Esse desejo da Maçã pode ser um indicativo de que ela está interessada em veículos totalmente autônomos e não apenas que tenha um controle adaptativo como muitos dos carros atuais.

Os sensores de hoje, incluindo os da Velodyne (utilizados pela Apple na sua atual frota de carros autônomos), usam peças mecânicas que emitem pulsos de luz de laser para renderizar imagens precisas do ambiente ao redor do carro, podendo custar até US$100 mil. Isso os torna muito volumosos e propensos a falhas para uso em veículos produzidos em massa. Por conta desse cenário que ainda pode melhorar bastante, dezenas de startups investiram mais de US$1 bilhão a fim de resolver isso e tornar esses sensores menores, mais baratos e robustos.

A ideia da Apple poderia ser implementada, segundo a Reuters, utilizando técnicas convencionais de fabricação de semicondutores. Isso teria o potencial de reduzir bastante os valores de produção à medida que os sensores são produzidos em números maiores, semelhantes a chips em telefones e outros dispositivos.

Ainda assim, mesmo com esse interesse da Apple, não se sabe exatamente quais são os planos da Maçã para esse novo mercado. Será que ela pretende lançar um veículo autônomo próprio? Ou será que pretende fazer parcerias com outras fabricantes de veículos, sendo a responsável pelo sistema autônomo em si?

Leia também

Ainda que tenhamos algumas informações aqui e ali sobre o “Projeto Titan”, podemos dizer que ele está sendo muito bem guardado pela Apple — ainda mais levando em consideração a quantidade de pessoas envolvidas já que, mesmo com as últimas dispensas, rumores indicam que há cerca de 5 mil trabalhadores envolvidos no projeto.

via 9to5Mac

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes