Acesso Pessoal do iPhone rende processo à Apple por suposta infração de patente

Mais um dia, mais uma papelada chegando ao departamento jurídico do Apple Park. Hoje, a Maçã recebeu um processo por conta de um recurso que, a essa altura, já é lugar comum em todos os smartphones do mundo: o Acesso Pessoal (Personal Hotspot) do iPhone.

Acesso Pessoal no iPhone

A empresa WiNet Labs, baseada no estado americano do Wyoming, moveu uma ação contra a Apple alegando que o recurso do smartphone da Maçã infringe diretamente uma patente sua. A patente, de número 7.593.374 e registrada em 2009, descreve um “protocolo de transferência de dados sem fio” e uma tecnologia capaz de estabelecer e manter uma rede em múltiplos dispositivos, sendo um emissor e vários receptores — exatamente como funciona um roteador sem fio.

Segundo a WiNet, advogados da empresa tentaram vender a patente à Apple em 2014, mas foram ignorados pela gigante de Cupertino. É bom notar que o registro não é original da WiNet: em 2005, a patente era de propriedade de uma empresa chinesa chamada M-LABS, hoje registrada como cessionária compartilhada.

Leia também

Ambas as empresas, WiNet e M-LABS, têm todas as características de patent trolls: não possuem produtos ou serviços ativos, não têm presença ativa na internet e nem reconhecimento público por atividades passadas. A patente que está gerando o atrito com a Apple, aliás, já esteve várias vezes a ponto de ser repassada porque a WiNet não pagou as taxas de manutenção devidas ao Escritório de Patentes e Marcas dos Estados Unidos (USPTO).

A Apple não comentou o caso, mas ficaremos atentos para desdobramentos futuros.

via AppleInsider

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes