Berkshire Hathaway detém US$50 bilhões em ações da Apple

Vira e mexe, comentamos a participação bilionária do conglomerado Berkshire Hathaway (comandado por Warren Buffett) no mercado de ações da Apple; a empresa possuía mais de US$40 bilhões em papéis da gigante de Cupertino no fim do ano passado, de acordo com o último relatório anual da companhia.

Mesmo sem adquirir nenhuma nova ação (na realidade, a empresa vendeu cerca de 3 milhões de papéis da Apple no fim do ano passado), o valor líquido sob propriedade da Berkshire Hathaway ultrapassou US$50 bilhões, como divulgou a CNBC.

Em parte, esse aumento está relacionado à valorização das ações da Maçã, que subiram mais de 32% nos últimos meses. Buffett contou que ficou satisfeito com os resultados do segundo trimestre fiscal da Maçã, embora tenha afirmado que ele nunca toma decisões de investimento com base em um único relatório trimestral.

Com relação às variações na participação da $AAPL pela Berkshire no passado, o CEO disse que as mudanças não aconteceram sob sua orientação e reiterou que “nada deve ser entendido” disso.

O executivo rejeitou a ideia de encerrar os investimentos na Apple devido à sua “imprevisibilidade”, mas brincou que está “magoado” com o aumento do preço das ações pois gostaria de comprar ainda mais (no ano passado, inclusive, ele sinalizou que adoraria ter 100% da Apple).

Tim Cook sobre a participação da Berkshire Hathaway

É claro que um investimento desse tamanho aproxima as pessoas, mais precisamente os executivos da Maçã e os investidores da Berkshire Hathaway. Nesse sentido, o CEO da Apple, Tim Cook, participou da reunião anual de acionistas do conglomerado, realizada no último sábado em Omaha, no estado americano de Nebraska.

Após o encontro, Cook deu uma breve entrevista à Fox Business, na qual elogiou Buffett. O executivo da Maçã disse que “Buffett é como um grande professor com quem aprendeu muito” e que ele está “empolgado” com o fato de a Berkshire Hathaway ser uma investidora da Apple.

Para a CNBC, Cook contou que os investimentos da Berkshire Hathaway na Apple mostram que Buffett entende que a Maçã é, essencialmente, uma empresa de produtos de consumo, e não uma empresa de tecnologia. A opinião favorável de Buffett sobre a Apple indica o “reconhecimento da evolução contínua” da gigante de Cupertino.

O executivo destacou, ainda, que apesar de a Apple estar na indústria de tecnologia, ela “trabalha na interseção desse mercado com as artes e a humanidade” para criar produtos para as pessoas.

Acreditamos que a tecnologia deve estar em segundo plano, não em primeiro plano, e que a tecnologia deve capacitar as pessoas a fazer as coisas e ajudá-las a fazer coisas que não poderiam fazer de outra maneira.

Leia também

Além da Apple, Buffett revelou que a Berkshire Hathaway vem adquirindo ações da Amazon, mas que ele não é o responsável pelos papéis. O investidor contou que há muito tempo admira a companhia e seu fundador, Jeff Bezos, e que se sente um “idiota” por não ter começado a investir na gigante da tecnologia anos atrás.

via The Loop, 9to5Mac, AppleInsider

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes