Governo Trump passa a cobrar tarifa de 25% para carregadores e cases da Apple

Quando Donald Trump anunciou, em dezembro passado, que suspenderia por três meses o aumento de tarifa de produtos fabricados na China comercializados nos Estados Unidos, a Apple respirou aliviada: parecia ser o início de um possível arrefecimento na guerra comercial entre as duas maiores potências do mundo. Bom… parecia.

Como informou o The Verge, o governo americano aumentou as taxas de importação de certas categorias de produtos fabricados na China: dos 10% estabelecidos em setembro passado, a tarifa pulou para 25%. Alguns produtos da Apple entram no bolo — especificamente cabos, carregadores, capas e cases.

Quando a tarifa foi fixada em 10% em setembro passado, a Apple absorveu os custos extras e não repassou o aumento para o consumidor; agora, com mais uma escalada significativa nos impostos, fica a questão se a empresa continuará assimilando a tarifa ou se aumentará os preços dos acessórios. Certamente, as margens de lucro da Maçã dão uma boa folga para ela não mexer nos preços dos produtos; por outro lado, a queda na margem deve, sim, trazer algum impacto para as finanças da companhia, então teremos de aguardar para ver.

iPhones na reta

A parte mais complicada dessa história toda é que, com o reaquecimento da guerra comercial entre EUA e China, o futuro é incerto até mesmo para outras categorias de produtos — e, portanto, para as principais linhas da Apple.

O país oriental já retaliou o aumento de Washington anunciando também uma série de novas taxas para bens importados dos EUA, como gás natural, petroquímicos e óleo de soja ou amendoim. Trump, por sua vez, sinalizou que poderá estender o aumento da tarifa para outros segmentos — de fato, o Escritório de Comércio dos EUA já iniciou um processo de aprovação para aplicar as taxas de 25% a mais categorias de bens, como smartphones (sim, incluindo iPhones). Os novos impostos poderão entrar em vigor já em junho, caso o presidente não mude de ideia.

Segundo analistas ouvidos pela CNBC, caso o aumento de tarifa realmente atinja o iPhone, o preço de venda médio do aparelho poderá subir 14%. Falando especificamente do iPhone XS, os US$999 atuais saltariam para US$1.142, caso a Apple quisesse continuar vendendo tudo com a mesma margem de lucro e sem negociações com fornecedores.

Naturalmente, a jogada de Trump parece mais uma moeda de barganha do que qualquer outra coisa — é improvável que o governo aumente a tarifa de um leque tão grande de produtos em um prazo tão pequeno. Ainda assim, o sinal deve estar amarelo numa certa “espaçonave cupertiniana”.

Ações caem

Por conta da incerteza que tomou conta do mercado após as novidades envolvendo a guerra comercial, as ações da Apple sofreram um abalo significativo ao longo dos últimos dias. No momento, a $AAPL vale cerca de US$189 na NASDAQ — uma queda significativa em relação ao dia 1º de maio, quando esse valor chegou a US$211. No momento, o valor de mercado da empresa está na casa dos US$870 bilhões.

Não é só a Apple que está em maus lençóis, entretanto:

Queda nas ações do Facebook, do Uber e do Twitter no dia 13 de maio.

Ou seja… não só Cupertino, mas o Vale do Silício inteiro, os EUA e o mundo estão de olho para ver quais as próximas ações de Donald Trump e sua turma, de um lado, e Xi Jinping e seus companheiros, do outro.

via MacRumors

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes