O que matará o Second Life? [atualizada]

Em sua coluna semanal para o portal G1, Silvio Meira diz:

(…) mas o problema real e muito mais profundo — e que vai “matar” Second Life, na minha opinião — é que SL é um mundo fechado, uma propriedade privada, comandada e ordenada por um único dono, a Linden Labs. E não conversa com o resto da rede, com os outros mundos virtuais. Não há como mudar uma “casa” construída lá para nenhum outro lugar. O “browser” de SL é só de lá. Tudo (seja lá o que for) que é de lá, é só de lá e ponto final. E este é o mesmo problema de todas as outras imitações do metaverso que há por aí

Muitos anos atrás, Bill Gates e Steve Case acharam que Microsoft e AOL iriam competir entre si pra ver quem tomaria conta da vida dos usuários na rede. Na verdade, qualquer um dos dois estaria contente com 30% do negócio. Deu no que deu. Suas estratégias fechadas fracassaram, porque empresas e usuários, aqui fora, queriam uma rede interoperável, com o mesmo browser para todos os “mundos”, com a possibilidade de cortar, copiar, colar e mixar coisas de cada parte da rede para recriar suas próprias visões e versões da rede. Philip Rosedale, fundador do Linden Labs, parece que pulou esta página da lição. E talvez, ao fazê-lo, tenha escrito a última página de Second Life.

Minha primeira reação, ao terminar de ler o texto, foi imaginar que a mais provável causa mortis deste auto-denominado metaverso seria o tédio, afinal, o Second Life é um serviço paquidermicamente chato, embora o sucesso do Orkut — principalmente entre os miguxos de plantão —, um serviço tão mortalmente chato quanto o SL, possa levar por terra a minha teoria. Em matéria de rede social, a dupla Twitter/Facebook anda se mostrando imbatível.

Em 1996 a Microsoft lançou o Microsoft Comic Chat, um serviço de IRC (alguém se lembra disso?) gráfico e que pode ser considerado o avô do Second Life. Para a época, era bastante interessante. Eu me lembro que até o utilizei, no modo offline para criar uma tirinha romântica com o intuito de conquistar uma certa mocinha. Os resultados foram positivos, entretanto, tanto o Microsoft Comic Chat quanto a mocinha em questão ficaram na história. Bons tempos aqueles.

Atualização (23/08/2007 às 05h43): eu criei, tempos atrás, um grupo do BLOG.MACMAGAZINE no Facebook, o qual já conta com 6 orgulhosos membros. Convido a todos, é claro, a aparecerem por lá.

Posts relacionados

Comentários