O mundo sem Internet?

Um PAC pra internet?…

[…] a novidade é que notícias alarmantes [ou alarmistas?] do front dão conta que a rede [lá fora, no mundo rico] pode… parar, por puro e simples colapso da infra-estrutura, em função do aumento da demanda por mídia rica. em suma, cada vez mais acessos e de maior velocidade vendidos na ponta, sem investimentos suficientes no meio pra sustentar a onda. parece, exatamente, o… brasil! […]

Você já imaginou, caro leitor, como seria — neste quase final da primeira década do Século XXI — viver sem a Internet? Retomaríamos, forçosamente, velhos e quase esquecidos hábitos, por exemplo: escrever longas cartas, ao invés de emails; enfrentar a fila dos bancos para pagar um simples conta; Skype e telefonia IP (o que prejudicaria profundamente as operadoras dos serviços de telecomunicações, dentre outras coisinhas…)? Sem chances! Joguinhos online? Esqueça. Já consigo antever, inclusive, as severas crises de abstinência que acometeriam os Orkut-dependentes de último grau…

Pensando nisso, ocorreu-me uma pergunta: quanto do seu tempo na frente da tela do computador você gasta com atividades offline, que não dependam, de modo algum, da Internet? Pois é..

A advertência quase apocalíptica de Silvio Meira, na abertura deste post, faz todo o sentido. Há anos investimos em coisas como largura de banda; velocidade de conexão; interatividade; produção de conteúdo multimídia e multi-plataforma. Músicas, filmes, fotos e serviços — como o Google Docs, por exemplo — tudo paira em uma etérea nuvem virtual, a um clique de distância. Até mesmo nossos sistemas operacionais, um dia, repousarão fora de nossos desktops e notebooks.

E por quê não investimos no que faz tudo isso funcionar? Ora, da mesma maneira que os políticos resistem em investir em saneamento básico, pois o que está escondido em baixo da terra geralmente não e traduz em mais votos, pensar em infraestrutura de rede é chato. Boring, como dizem os ingleses. Quem se lembra, por exemplo, do que as palavras Telnet; Gopher e Finger significam?

23-thenode1.jpgO foco de interesse se concentra em produtores de mídia digital; especialistas em webdesign e manipulação de imagens; profissionais de mídia interativa; desenvolvedores que trabalham com coisas como .NET, Rail, PHP e quejandos e, é exatamente para eles que vão boa parte da atenção e dos recursos disponíveis.

Não acredita? Quem você acha que uma mocinha geek escolheria para sair em um sábado a noite: o diretor de web de uma descolada agência de publicidade (Sorry, Boss… he! he!) ou um especialista em infra-estrutura, que discorrerá, empolgadamente, sobre como conseguiu configurar aquele novo modelo de roteador da Cisco? Pois é…

Brincadeiras à parte, o assunto é sério e algo precisa ser feito. Eu começaria implementado o novo padrão de Protocolo de Internet, o IPv6, pois a disponibilidade do padrão de IP atual, dizem os especialistas, terminará em 2010. Ainda dá tempo!

Posts relacionados

Comentários