XP versus Vista: a guerra dos Windows

Logo do WindowsLançado no final de 2006 para o mercado corporativo, e no início de 2007 para todos os outros tipos de usuários, o Windows Vista enfrenta, atualmente, um duro dilema: ser ou não ser?

Publicidade

A questão não é bem essa, no entanto. Depois de 6 anos acostumados a usar um sistema, com características — e vontades… — próprias, muitos usuários do sistema da Microsoft viram no lançamento um produto que nem sempre supre suas necessidades, além de criar algo que ninguém gosta, em nenhum ramo: problemas!

Tá certo… Quando a mudança foi do Windows 3.11 para o 95, muitos reclamaram, alguns relutaram, componentes e periféricos tiveram problemas para funcionar no novo sistema. Concordo. Entretanto, não é a mesma coisa. Naquela época, era preciso mudar toda a estrutura do sistema operacional, para que o progresso no campo do hardware não ficasse limitado pelo software. Hoje, uma mudança tão drástica na interface do Windows não mostra nada do que o Vista realmente traz de novo: mais segurança, ferramentas que melhoram a produtividade e versões avançadas de programas que são parte do seu funcionamento.

Splash do Windows 3.1

Publicidade

Simplesmente tentar copiar o Mac OS X, de uma maneira bem falsificada, não foi uma boa aposta por parte do time de Redmond. Desnecessário.

Apesar de tudo, a questão não é essa. Realmente, se queremos chegar à perfeição, temos que seguir o exemplo dos que quase lá estão — a rima saiu sem querer. Só que, para isso, não se pode minar a facilidade de uso de todo um sistema. Resultado disso? Milhões de usuários de computador estão cobrando dos fabricantes de computadores que não abandonem o Windows XP.

Publicidade

Talvez uma próxima versão do sistema operacional, com maior difusão no mundo, resolva esse problema. Desde que, claro, não traga novidades negativas para os “PCs”. Steve Ballmer já andou confirmando que o “Vista é um trabalho em andamento”, apesar de a Microsoft não demonstrar qualquer arrependimento na mudança.

Problema parecido existiu quando foi lançado o Windows ME (Millenium Edition), um passo intermediário entre a versão 98 e XP, utilizando características da sua versão corporativa, o Windows 2000. Naquela oportunidade, a Microsoft se viu com um sistema que tinha falhas notáveis, mas o esforço valeu a pena. Afinal, é de tirar o chapéu, em pleno século XXI, o fato de uma empresa de software manter viva uma mesma versão de programa por tanto tempo! Ainda mais um sistema operacional, e ainda mais… o Windows.

Dessa forma, poderíamos até pensar no Vista como uma “ponte” entre dois sistemas que terão importância histórica no mundo da Informática. Basta saber se o tal Windows 7, ainda sem nome comercial, será essa nova versão.

Publicidade

Rodrigo Veleda, um de nossos leitores, e que também está atento ao “conflito” entre Vista e XP, nos respondeu algumas perguntas sobre o assunto:

MacMagazine: Rodrigo, você acha que os usuários que estão protestando contra a imposição do Vista como padrão têm razão?
Rodrigo: Bom, como fui usuário — e infelizmente ainda sou, no trabalho — de Windows, posso afirmar que a grande maioria ainda prefere o XP. Acho que eles têm razão, pois quando a Microsoft lançou o tão esperado Vista, a imagem que me veio foi aquela: “Lançamos um sistema operacional atraente, bonito e com efeitos que os usuários gostarão. Não importa o quanto de memória ele precisa para funcionar legal, o que importa é que lançamos!”. Essa foi a impressão que o Vista me trouxe. 🙂

MM: Entre o XP e o Vista, com qual você fica? Não vale dizer Leopard!
R: Não tenho dúvidas para responder que fico com o XP, já que você limitou minha resposta (hehehe). Na minha opinião, o Windows XP foi o melhor sistema operacional desenvolvido pela Microsoft — após o lançamento de todos os seus services packs, é claro!

MM: Acredita que uma próxima versão de Windows possa reduzir essas reclamações?
R: Acredito que se a Microsoft conseguir unir o que tem de bom no Vista com a performance do XP, sairá um bom sistema operacional. Afinal, hoje em dia, quem está se dando bem é quem consegue juntar praticidade, interatividade e performance. Tudo nos seus minuciosos detalhes.

Enquanto isso, na floresta… Os usuários insatisfeitos vão aos pomares e à região da Antártida, buscar Maçãs e Pingüins. Outros, imploram para que a eXPeriência continue. Toda uma década de hegemonia, momentaneamente abalada.

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…