Da web para seu desktop com o Safari 4 e Firefox 3

SafariAplicativos web como o Google Docs, estão ganhando cada vez mais força, hoje em dia. Isso fez surgir uma nova tendência entre os navegadores, que explorarei neste artigo.

O Safari 4, que ainda está em fase de testes, tem um novo recurso feito para as pessoas que usam aplicativos web: “Salvar como aplicativo web”. A idéia dele é criar um aplicativo com a engine WebKit embutida, possibilitando a execução de aplicativos web como se fossem programas normais, sem a necessidade de abrir um navegador e ir até o endereço.

A Mozilla também tem um projeto semelhante desde outubro de 2007, antes conhecido como WebRunner — o Prism. A idéia é basicamente a mesma, criar executáveis a partir de aplicativos web.

Prism

Eu instalei a versão para o Firefox do Prism, que também conta com uma versão que pode ser instalada sem a necessidade do Firefox. Instalei também o Safari 4, para poder comparar as duas soluções.

Menu Ferramentas no Firefox

Menu “Tools” no Firefox
Meu File no Safari

Menu “File” no Safari

O Prism adiciona um item no menu “Ferramentas” do Firefox para converter o site em aplicativo. Ao clicar nesta opção, é aberta uma janela de opções para a criação do aplicativo como atalho no Dock ou na Mesa (Desktop), mudar o ícone do aplicativo e adicionar ou não alguns elementos de navegação.

Após a conversão, o resultado é uma janela do Firefox sem nenhum elemento da interface, apenas o nome do aplicativo web, a página em si e um ícone baseado no favicon do site, muito mais leve e fácil do que usar o navegador.

Janela de opções

Janela de opções do Firefox

No Safari, a opção do menu aparece no menu “Arquivo”. Quando clicado, a janela de opções é bem mais simples do que a janela do Prism, contendo apenas um campo para colocar o nome do aplicativo e onde ele será salvo. Por padrão, ele é armazenado dentro de uma pasta chamada Safari Web Applications.

Janela de opções no Safari

Janela de opções do Safari

Ao abrir o aplicativo feito pelo Safari, nota-se que ele é bastante parecido com o gerado pelo Prism, com uma diferença muito importante: o aplicativo do Safari usa a barra de menus do próprio Mac OS X, enquanto o Prism não usa; ao invés disso, aparece apenas um menu com o nome Firefox.

Compare:

Barra de menu do Prism

Barra de menus do Prism
Barra de Menu do Safari

Barra de menus do Safari

iconeUm problema encontrado é com relação ao ícone. A Mozilla resolveu usar o favicon, mas essa solução é um tanto deselegante pois favicons são criados na resolução de 16×16 pixels, enquanto os ícones do sistema vão até 512×512. Ao menos o Prism tem a opção de colocar uma imagem no lugar do favicon. A Mozilla continua trabalhando neste problema, tentando fazer uma versão estilizada do favicon em 512×512 baseada em pixel art.

icone safariA solução dada pelo Safari é diferente do Prism. O ícone criado é uma screen-shot do aplicativo com um ícone do Safari no canto.

Apesar de resolver o problema de resolução causado pelo uso de favicons, a solução também não é das melhores, pois o ícone não fica muito legível no tamanho pequeno. Neste caso, a solução do Prism ganha a parada.

Janela do Prism no Google Docs

Janela do Prism no Google Docs

Infelizmente a solução do Safari parece que ainda não está funcionando direito, pois quando o aplicativo pede um redirecionamento, ao invés de abrir na mesma janela ou em uma nova janela do aplicativo — como o Prism faz —, ele abre uma janela do navegador padrão do sistema, uma falha que faz a solução do Safari perder sua função.

Janela do Safari no Google Docs

Janela do Safari no Google Docs

Essa nova função do Safari e do Firefox (como extensão) pode aumentar a popularidade dos aplicativos web, pois facilita seu uso oferecendo um ícone de acesso direto com uma interface muito mais simples do que se você fosse acessar via um navegador comum.

Posts relacionados

Comentários