Apresente-se como Steve Jobs

Foto: acaben (Flickr)

Talvez você nem sabia, mas já foi vítima do Campo de Distorção da Realidade® de Steve Jobs. Carismático, objetivo e sempre bem-humorado, o CEO da Apple sabe muito bem explorar suas qualidades para, pelo menos duas vezes ao ano, apresentar-se publicamente e anunciar grandes novidades para o mundo da Maçã. Mas a coisa não é tão simples quanto parece.

Foto: acaben (Flickr)
Foto: acaben (Flickr)

Se você quiser apresentar-se como Steve Jobs, antes de tudo saiba que é necessária muita preparação prévia. Ficar 1-2 horas falando em frente a um público tão exigente e perfeccionista não é nada fácil, por isso o discurso deve ser preparado com pelo menos duas semanas de antecedência. Não ache que Jobs sobe ao palco do Moscone Center “torcendo para que tudo dê certo” — cada slide ali foi meticulosamente pensado e ordenado. Pode ter certeza de que toda a apresentação foi ensaiada por ele e seus convidados algumas vezes nos dias antecedentes.

É claro que o conteúdo e profundidade da apresentação pesam bastante no interesse e atenção que você conseguirá conquistar do público. Os produtos e lançamentos da Apple falam por si só, mas escolher e preparar a melhor forma para apresentá-los faz uma grande diferença. Além disso, o apelo visual dos slides é fundamental para envolver os espectadores de todos os ângulos possíveis e aguçando ao máximo os seus sentidos. Vídeos e/ou áudios intercalados sempre caem muito bem.

Evite ao máximo encher seus slides de texto, mesmo que esteja pensando em conteúdo adicional para o público espectador. Se for adicionar informações para você próprio (o apresentador), é sinal de que você precisa estudar mais o seu tema e se preparar melhor para a apresentação, salvo em casos de dados, números, estatísticas, gráficos etc. — que ninguém é obrigado a decorar. Se você começar a ler slide após slide, é certo que todos perderão o interesse pela sua apresentação. Os slides têm que ser um suporte/direcionamento para o que você estiver falando frente ao público, não uma redundância.

Naturalidade e tranqüilidade são fundamentais, mas é importante também ser calculista e escolher frases marcantes para o seu discurso. O vídeo abaixo exemplifica muito bem o que quero dizer; alguns termos, quando bem pincelados, contribuem muito para uma boa recepção acerca do que está sendo apresentado.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=QOVRgVPrGlQ[/youtube]

A depender da quantidade de informações que for passar no seu discurso, é muito válido que defina temas durante a sua apresentação. Na abertura da Macworld deste ano, Steve Jobs disse: “There’s something in the air today”, referindo-se ao MacBook Air. No ano passado, quando anunciou o iPhone, ele começou o seu discurso afirmando: “Today, Apple reinvents the phone.”

Tal como numa novela, filme ou livro, se você quiser que sua apresentação seja digna de referência ao showbiz — tal como as de Steve Jobs —, pense sempre na forma como irá conduzi-la e a ordem dos temas. Como sempre, ela deve começar com uma introdução (quando Jobs fala sobre números e últimos lançamentos da empresa), desenvolvimento (novidades bacanas, nada demais), o clímax (quanto todos se surpreendem, ponto forte) e um final ainda mais inesperado (“One more thing…”).

Não se irrite com o que der errado. Numa recente apresentação do Apple TV, o telão do auditório da keynote não mostrou nada; com um sorriso no rosto, Jobs brincou afirmando: “Well, I guess Flickr isn’t serving up the photos today.” Quanto menos atenção você der para esse tipo de coisa, menos as pessoas lembrarão e comentarão. Nunca foque-se na parte negativa das coisas ou peça desculpas por isso ou aquilo; destaque ao máximo o que há de positivo, sempre.

E não esqueça: ensaie, ensaie e ensaie.

[Dica do Nelson Biagio Jr., valeu!]

Posts relacionados

Comentários