Lenovo entrará no mercado de laptops de baixo custo; conheça o mais barato deles

A Lenovo, que já é bastante conhecida no mercado por produzir desktops e notebooks de menor custo comparados com outras grandes empresas do mundo Windows, anunciou sua entrada no mundo dos subnotebooks com a introdução do IdeaPad S10, previsto para lançamento em outubro.

Publicidade

O mercado de laptops de baixo custo realmente decolou no ano passado com o lançamento do Eee PC pela ASUS, que motivou empresas como HP e Acer a produzirem modelos de portáteis do mesmo nível, graças ao seu enorme sucesso. De todas as grandes fabricantes de computadores, a Lenovo é só mais uma na competição pela liderança nesta tendência.

O IdeaPad S10 estará disponível em duas configurações, uma com 512MB de memória e HD de 80GB e outra com 1GB de memória e HD de 160GB. Ambas serão baseadas no processador Intel Atom para ultraportáteis e possuem display LED de 10,2″, o que já garante uma considerável economia de energia para um notebook tão pequenino. Além disso, contarão com duas portas USB e um leitor de cartões 4-em-1.

A previsão que temos até o momento é de que ele custará nos Estados Unidos US$399 na sua configuração mais simples e US$499 no modelo topo-de-linha. Já na Europa, ele poderá custar £319, cerca de 50% mais caro. No final das contas, um bom concorrente para o Asus Eee PC, na minha opinião.

Publicidade

Entre os concorrentes da Lenovo nesse mercado, destaca-se a Carapeli, uma fabricante taiwanesa que declarou estar vendendo pela internet o notebook mais barato do planeta. O ultraportátil Impulse NPX-9000 está sendo vendido por US$130 na suposta loja virtual da companhia.

No entanto,  a vantagem de ter um preço tão acessível vem acompanhada do seu revés. Ele conta com uma tela de 7″, processador de 400MHz, 128MB de RAM e 1GB de memória flash para armazenamento local — bem fraco, na minha opinião. E as opções de conectividade são bastante limitadas, comparadas com outros concorrentes.

Publicidade

De fato, não dá para esperar configurações de respeito em ultraportáteis. Mas vale lembrar, também, que esse é um tipo de notebook que está atraindo muitas pessoas, principalmente os “viciados em mobilidade” e aqueles que não podem desembolsar muito para ter um computador que possam levar pra qualquer lugar.

Com boa parte das grandes fabricantes aderindo a esse mercado, não ficaria admirado se a Apple entrasse na brincadeira futuramente, produzindo um MacBook de menor custo (um MacBook mini/nano, quem sabe?), que não fosse tão fácil de ser jogado fora, por exemplo.

[Dica do Emanuel Barbosa, obrigado!]

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…