A ausência de FireWire nos novos MacBooks [atualizado]

Querida... desapareci com o FireWire!

Uma olhadinha rápida nas especificações do novo MacBook mostra que um componente de longa data deixou de ser incorporado ao Mac mais vendido de todos. Apresentada em 1998 com os iMacs, a conexão FireWire desapareceu nestes portáteis, estando presente em sua especificação 800 (de 800Mbps) com apenas uma entrada nos MacBooks Pro, podendo se conectar a dispositivos FireWire 400 através de um cabo adaptador.

Querida... desapareci com o FireWire!
Querida... desapareci com o FireWire!

Tal fato irritou alguns clientes que têm produtos com essa conexão, que estão indagando o que fazer no fórum de discussão da Apple, se decidem comprar o novo notebook. Câmeras de vídeo profissionais, discos rígidos de armazenamento externo, interfaces para edição de música e mesas de mixagem são alguns dos exemplos de dispositivos “órfãos”. O FireWire, criado e difundido principalmente pela Apple, deixa de existir em um dos seus produtos mais populares, alguns anos depois de abandonar o iPod. E será que Steve Jobs continua feliz com a novidade, mesmo depois tantas reclamações?

Um usuário mandou uma mensagem ao CEO mais saudável do mundo (?) e obteve resposta, que rapidamente caiu na internet. Nunca sabemos se essas respostas por email são verdadeiras, mas de alguma maneira o texto faz sentido.

Mensagem para Jobs, via AppleInsider
Mensagem para Jobs, via AppleInsider

A conexão FireWire sempre teve uma popularização difícil, basicamente porque o mundo PC-não-Apple demorou bastante para adotar a tecnologia, que quase sempre é sinônimo de incremento de preço. O fato de ser muito mais rápido do que as primeiras versões de USB foi algo positivo, porém o lançamento do USB 2.0, com velocidades equivalentes às do padrão FireWire 400 (e retrocompatível), acabou minando o futuro da tecnologia mesmo quando essa já tinha sido adotada pela Sony e outras marcas. Hoje em dia, câmeras filmadoras de alta definição usam USB 2.0, assim como vários outros dispositivos, entre eles os reprodutores MP3/MP4 incluindo, é claro, o iPod.

Como um dos filhos-prodígio da fábrica de Cupertino, a iminente morte do FireWire deve incomodar a Steve Jobs e sua equipe. O autor do primeiro e-mail diz que sempre foi um fã da tecnologia e chega ao ponto de citar que investir em um MacBook não vale a pena, que não o recomenda aos seus amigos, pela falta da conexão IEEE 1394. Jobs responde em uma única frase comentando que todas as filmadoras digitais de alta definição são USB 2.0.

A retirada desse componente certamente ajudou os engenheiros a reduzirem o tamanho da placa-mãe dos novos notebooks e será um fator de economia de espaço e energia para futuros produtos da Apple. Se o novo padrão USB 3.0 realmente for adiante, provavelmente será o fim do FireWire em qualquer velocidade.

Do outro lado da moeda, estão os produtores de vídeo e editores musicais, usuários que gastaram um dinheiro importante em produtos com essa tecnologia e agora podem estar se perguntando se realmente ficarão presos ao mesmo modelo de computador por outros anos mais, devido à falta de compatibilidade entre os dispositivos. É o preço da modernidade, trazendo mais comentários negativos sobre as novidades da Maçã.

[Dica do Rainer Brockerhoff, obrigado!]

Atualização (17/10/08 às 0:10): depois de 477 anos sem escrever um artigo, quando alguém decide voltar a fazê-lo acaba mostrando as marcas da ferrugem. Com o comentário do Gu CL, notei que algo não ia bem no reino da Dinamarca, e fiz umas pequenas correções, sem alterar a essência do texto. Antes tarde do que deixar essa notícia toda errada!! Obrigado pelo aviso! 😀

Posts relacionados

Comentários