iPhone 3G chega ao Egito totalmente capenga

Quando a gente pensa que está mal das pernas, há sempre alguém pior. O iPhone 3G foi — finalmente — lançado nesta semana no Egito, porém sem o idioma árabe, com GPS desativado e sem uma App Store local. Em outras palavras, uma aterrissagem longe de ser digna do padrão Apple.

Comercializado pelas operadoras Vodafone e Mobinil, o aparelho custará o mesmo em ambas — 3.800 libras egípcias (cerca de R$1.520) para o modelo de 8GB e 4.450 libras egípcias (~R$1.780) para o de 16GB — e não será subsidiado.

Conforme leis do país que banem a utilização de GPS, a funcionalidade teve que ser desabilitada pela Apple no firmware dos aparelhos vendidos por lá. Isso, porém, abre um precedente que permitirá o lançamento do produto na Índia sem 3G e, na China, quem sabe, sem 3G e sem Wi-Fi.

Além disso, o smartphone não oferece suporte ou localização ao idioma árabe (oficial no Egito). Os caracteres são até mostrados, mas ficam separados, o que torna a sua leitura bem complicada. A única solução, para o povo de lá, é fazer jailbreak no aparelho e instalar o aplicativo Arabtaller Pro, da iPhoneislam.

Mas talvez o pior de tudo seja que o iPhone 3G chegou por lá sem uma App Store — que dirá uma iTunes Store completa, como sonhamos por aqui. Isto é, quem comprar o produto por lá, terá que se contentar com os aplicativos que já vêm instalados nele. O pior de tudo é que países como a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos já têm suas App Stores, mas não têm iPhones 3G.

Pra completar, a página de suporte sobre o iPhone 3G no site da egípcio da Apple não existe, o que levanta dúvidas sobre quem ficará responsável por serviços e reparos dos aparelhos por lá. Um PDF horrível da Vodafone traz instruções de como ativar o iPhone 3G e pede que o usuário instale a versão 7.7 do iTunes para Windows (?!).

Será que alguém arrumará a bagunça logo?

[Via: SaudiMac.]

Posts relacionados

Comentários