Apple negocia com gravadoras, quer mais músicas sem DRM no iTunes Plus

Maçã presa a um iPod (DRM)

A Apple está negociando com as três grandes gravadoras musicais restantes (além da quarta, a EMI), que continuam recusando-se a vender músicas sem DRM (Digital Rights Management) na iTunes Store, pelo seu programa iTunes Plus. As conversas têm ocorrido já há alguns meses e o primeiro dos acordos já estaria próximo de ser concretizado.

Todas elas — Universal Music Group, Warner Music Group e Sony BMG — já oferecem faixas sem softwares de proteção de direitos autorais em lojas concorrentes, como a Amazon MP3. A idéia é justamente aumentar a concorrência com a iTS; porém, a demora de tais serviços se expandirem internacionalmente e o contínuo crescimento da loja da Apple pode estar fazendo com que elas reavaliem o caso.

Além da EMI oferecer suas músicas sem DRM no iTunes Plus desde que o serviço foi lançado (em maio de 2007), todas elas possuem o dobro de bit rate (qualidade) do resto do acervo musical da loja: AAC de 256Kbps. Elas saem por 30 centavos de dólar a mais do que as tradicionais, em média, por US$1,29/cada.

Vamos torcer para que, um dia, essas grandes gravadoras parem de ameaçar e prejudicar os consumidores que preferem pagar por conteúdos digitais legais. Afinal de contas, será uma boa oferta dos mesmos, um alto de nível de qualidade e a ausência de restrições o que realmente contribuirá para o fim da pirataria, e não o contrário. Xô, FairPlay!

Posts relacionados

Comentários