MM na MWSF 2009: tudo sobre a keynote de Phil Schiller na abertura do evento

O MacMagazine está em San Francisco cobrindo a Macworld Conference & Expo 2009, a convite da Gol Mobile.

Acabo de chegar à sala de imprensa do Moscone South, após assistir à keynote de Phil Schiller na abertura desta Macworld Conference & Expo 2009. Tenho que dizer: Jobs não estava lá, nem tudo o que queríamos foi anunciado, mas o Schiller se saiu muito bem e ouvir o Tony Bennett cantar no final fechou a participação da Apple no evento com chave de ouro.

Abertura da Macworld Expo 2009

Cheguei ao Moscone West às 7h15, quase duas horas antes do início da apresentação. Felizmente, devido ao frio que está por aqui, todos conseguimos entrar de imediato no centro de convenções, mas só umas 7h45 subimos para o 3º andar, onde todos ficam reunidos aguardando a abertura dos portões, enquanto é servido um pequeno café-da-manhã para os que madrugaram na fila. Lá estavam David Pogue, do New York Times; Dennis Sellers, do Macsimum News; Brian Lam, do Gizmodo; Arnold Kim, do MacRumors; entre outros que avistei.

Abertura da Macworld Expo 2009

Abertura da Macworld Expo 2009

Abertura da Macworld Expo 2009

Abertura da Macworld Expo 2009

Abertura da Macworld Expo 2009

Abertura da Macworld Expo 2009

Abertura da Macworld Expo 2009

Pontualmente, às 9 horas, o Schiller subiu ao palco sob muitos aplausos. Desta vez, não fiquei tão perto quanto na WWDC, porque a Macworld oferece um espaço enorme na frente para os “VIPs”. Ainda assim, consegui a primeira fila de imprensa, logo depois da área dos privilegiados.

Abertura da Macworld Expo 2009

Abertura da Macworld Expo 2009

Abertura da Macworld Expo 2009

Abertura da Macworld Expo 2009

No início, o Schiller agradeceu enormemente a presença de todos (de maneira bem humilde, dando a entender que muitos não estariam ali só porque o Jobs não iria) e falou sobre as Apple Retail Stores, mostrando fotos das recém-inauguradas na China, Alemanha e Austrália. Segundo ele, 3,4 milhões de pessoas visitam as lojas da Maçã todas as semanas, o equivalente a 100 Macworlds — sim, mais uma vez destacando os motivos pelos quais a empresa está deixando de participar de feiras como esta.

O foco do evento foram os Macs: no ano fiscal de 2008, a Apple vendeu um recorde de 9,7 milhões de Macs, com um crescimento duas vezes maior que a média da indústria. Três coisas principais foram faladas no evento: iLife ’09, iWork ’09 e o novo MacBook Pro de 17 polegadas. No final, pra fechar, ele falou sobre novidades na iTunes Store.

Abertura da Macworld Expo 2009

Vamos lá? 😉

iLife ’09

Considerado uma das grandes razões para pessoas adquirirem um Mac, o iLife chega à sua nova geração com dezenas de novidades em todos os programas que o compõem: iPhoto, iMovie, GarageBand, iWeb e iDVD. Na keynote, Schiller falou sobre todos eles, exceto iWeb e iDVD, que também trazem novos recursos, porém não tão significativos quanto os que foram comentados por lá.

Juntando-se ao Events do iPhoto, chegam o Faces e o Places. O primeiro, como o nome já diz, traz duas tecnologias para detecção e reconhecimento de rostos de pessoas, com algoritmos que separam toda a sua biblioteca de fotos por pessoas que você conhece. Basta apontar o nome de uma numa fotografia, para que o aplicativo varra todas as outras e nelas indique a mesma pessoa. Quanto mais fotos você confirmar como realmente sendo a pessoa, mais ele saberá sobre ela e melhor poderá identificar futuras imagens importadas para o iPhoto.

Abertura da Macworld Expo 2009

Abertura da Macworld Expo 2009

Da mesma maneira, o Places foca-se em lugares, oferecendo mapas do Google com pinos que identificam onde suas fotos foram tiradas. Se você tem um iPhone ou uma câmera recente, as informações do GPS integrado (geo-tagging) são automaticamente importadas nos metadados EXIF das fotos. Se não for esse o caso, você pode editar seus Events identificando as localidades, bastando posicionar o pino no mapa. O bacana é que os dados numéricos de latitude e longitude são automaticamente convertidos para nomes conhecidos e fáceis de se identificar, como Torre Eiffel ou Moscone Center.

O iPhoto também passa a se integrar nativamente com o Facebook e com o Flickr. No primeiro caso, as pessoas identificadas pelo Faces são automaticamente identificadas no serviço e conectadas ao seu perfil. No Flickr, os metadados de GPS também são enviados e integrados aos mapas providos pelo Yahoo!, permitindo que outros usuários encontrem suas imagens geograficamente.

O iPhoto ’09 ainda traz um novo sistema de slideshows super bacana, com configurações de duração, música de fundo e novos temas sensacionais, de nível cinematográfico. A Apple, é claro, vai além: o sistema de detecção de faces funciona até mesmo nos slideshows, centralizando e posicionando melhor as fotos na tela, de acordo com as pessoas que ali aparecem.

Os livros e álbuns do iPhoto também foram aprimorados, com novas opções de temas, mais qualidade, impressão em capa dura e um “Travel Book”, que inclui automática e dinamicamente mapas dos lugares em que você esteve no meio das fotos expostas. Por fim, ele ainda permite a criação de álbuns inteligentes por grupos de pessoas (família, colegas de trabalho etc.) e também oferece uma visualização em colunas no Places, caso você prefira navegar por nomes ao invés de visualmente, no mapa.

Abertura da Macworld Expo 2009

Abertura da Macworld Expo 2009

Abertura da Macworld Expo 2009

O iMovie ’09 traz basicamente todos os recursos que estavam faltando quando ele foi reformulado, na última versão: editor de áudio/vídeo preciso, drag & drop avançado, temas dinâmicos, integração com mapas 2D e 3D animados (quatro temas diferentes para cada um), recurso para estabilização de filmagens, mais opções para edição de clipes (aplicação de efeitos e alterar velocidade, por exemplo), novas transições, mais temas e opções de títulos/textos variadas.

Além de algumas novidades interessantes, o GarageBand ’09, por sua vez, traz um grande novo recurso/pacote/serviço, para quem quer aprender a tocar instrumentos. Ele virá inicialmente com nove aulas de violão e mais nove de teclado grátis e básicas, que acompanham vídeos em alta resolução de instrutores e uma visualização dinâmica dos instrumentos na parte inferior.

Abertura da Macworld Expo 2009

O mais bacana, todavia, serão as aulas dadas por artistas/bandas/compositores famosos, comercializados pela nova Lessons Store do GarageBand. Nomes como John Fogerty, Sting, Norah Jones e Sarah McLachlan ensinarão as pessoas a tocarem músicas específicas de sua autoria, a US$5/cada. No pacote, estarão inclusas a faixa original, possibilidade de o usuário utilizá-la para mixes no GarageBand, letra completa e vídeos com a sua história. O usuário pode reproduzi-los, avançar ou retroceder como quiser, quando bem entender, na velocidade que lhe for mais conveniente.

Como sempre, o iLife ’09 acompanhará novos Macs gratuitamente e custará US$80, com uma versão família (5 licenças) por US$100. Ele estará disponível no final deste mês.

iWork ’09

Os três aplicativos do iWork também foram atualizados nesta Macworld: Keynote, Pages e Numbers.

O Keynote traz um novo recurso Magic Move, que faz todo o trabalho de transição e movimentação de um slide para outro automaticamente para o usuário. Além disso, traz transições de objetos (é impressionante, a transição de um para o outro é feita ao mesmo tempo), de textos, novas animações em gráficos (cheios de novas texturas, como madeira, pedra, metálica etc.) e novos temas.

A Apple também anunciou hoje o lançamento do Keynote Remote (US$1), novo aplicativo para iPhones/iPods touch que, evidentemente, permitirá o controle remoto de apresentações do Keynote. Quando utilizado na vertical, o usuário pode ver o slide atual e anotações, na parte inferior. Na horizontal, ele mostra o slide atual à esquerda do próximo. Para avançar, basta deslizar o seu dedo para a esquerda — nada mais intuitivo.

Abertura da Macworld Expo 2009

O Pages ’09 também trará boas novidades, como um modo de visualização em tela cheia, planejamento dinâmico de documentos longos, integração de dados com tabelas do Numbers, comunicação com o MathType e o EndNote e 40 novos modelos à disposição do usuário.

De maneira semelhante ao iMovie ’09, o novo Numbers fecha os buracos da sua primeira versão, atendendo a boa parte das requisições dos usuários. Agora, ele oferecerá categorias em tabelas com filtragem dinâmica, digitação facilitada de fórmulas (mais de 250 funções estão disponíveis, todas com dicas e descrições completas), novas opções de gráficos (todos conectados com o Pages, por exemplo — se um é editado aqui, atualiza ali) e, é claro, diversos novos modelos (templates) de planilhas.

Abertura da Macworld Expo 2009

O iWork ’09 está disponível imediatamente por US$80, também com uma versão família de US$100. Quem comprar um novo Mac, porém, ganha um desconto, saindo por US$50.

Mac Box Set

Ambos o iLife ’09 e o iWork ’09 requerem o Mac OS X 10.5 Leopard ou superior, o que nos leva a mais um anúncio de hoje, o Mac Box Set. A Apple colocou o Leopard, iWork e iLife num só bundle, que chegará ao mercado no final de janeiro, junto com o iLife ’09.

Abertura da Macworld Expo 2009

Todos juntos sairão por US$170, contra os US$290 caso fossem comprados separadamente. Ótimo negócio!

iWork.com

Não é bem um Google Docs ou Office Live da Apple, mas é bem próximo disso. O iWork.com entra hoje em fase beta gratuita (no futuro, terá planos pagos) e oferece uma proposta de compartilhamento de arquivos online bastante facilitada, com notificações automatizadas e colaboração entre usuários.

Documentos do Pages, Keynote e Numbers podem ser facilmente enviados para um servidor central, onde ficam disponíveis para visualização e download (em diversos formatos, incluindo o original — aberto —, PDF ou equivalentes da suíte de produtividade da Microsoft) e possibilitam que pessoas insiram comentários e anotações. Totalmente integrado ao iWork ’09, o iWork.com poderá ser acessado de qualquer browser decente, tanto em Macs quanto em PCs.

MacBook Pro de 17 polegadas

Inesperadamente (da minha parte, pelo menos), a Apple finalizou hoje a transição dos MacBooks Pro para o novo design unibody (monobloco de alumínio) com a chegada da nova geração do modelo topo de linha, ainda mais fino e leve que o antecessor: 0,98 polegada de espessura e menos de 3kg.

A máquina traz a sua tradicional tela LED de 17″ em alta resolução — 1920×1200 pixels —, grande ângulo de visão, taxa de contraste de 700:1 e uma gama de cor 60% superior. Além da versão glossy (padrão), a Apple oferecerá também para os usuários profissionais — sob muitos pedidos — uma versão anti-glare.

O novo MacBook Pro acompanha tudo o que temos direito, incluindo SuperDrive, Gigabit Ethernet, conector MagSafe, FireWire 800, três portas USB 2.0, entrada/saída de áudio e ExpressCard. Além disso, traz o novo trackpad de vidro, opção de processador Intel Core 2 Duo de 2,93GHz, até 8GB de RAM e os chipsets gráficos NVIDIA GeForce 9400 e 9600M. Por padrão, ele virá com um HD de 320GB, com opção de SSD.

A grande novidade do dia, porém, está relacionada com a sua bateria que, tal como previsto, agora é selada, não-removível. Com isso, a Apple conseguiu aumentar em 40% a sua área física, proporcionando mais 3 horas de autonomia: 7 horas na placa gráfica superior e até 8 horas na normal. Tudo isso mantendo o foco em espessura e peso, é claro.

Bem mais amigável ao meio ambiente (até porque não pode ser simplesmente descartada pelos usuários), a bateria dos novos MBPs aguenta até 1.000 recargas, três vezes mais que a média de um usuário comum, segundo o Schiller. Sua vida útil também é três vezes maior, com uma autonomia prevista para 5 anos.

Junto com isso tudo, a bateria foi totalmente reconstruída com químicos avançados, recarga inteligente e um sistema de monitoramento super avançado para a elevação da sua autonomia. O conjunto contribuiu para o MacBook Pro de 17″ entrar para o grupo dos “notebooks mais verdes do mundo”, segundo a Apple. Ele também conquistou o selo EPEAT Gold, livre de diversos componentes tóxicos e uma embalagem 34% menor que a anterior.

O modelo padrão comercializado pela Apple virá com um processador a 2,66GHz com 6MB de cache L2, 4GB de RAM e 320GB de disco, pelo mesmo preço do atual: US$2.800. Ele estará disponível no final deste mês, junto com diversos opcionais oferecidos pela Apple.

iTunes Store

O assunto foge um pouco do foco “Mac” do evento, mas foi tão interessante quanto. Lançada em 2003, a loja já passou dos 6 bilhões de músicas vendidas e possui hoje um catálogo de 10 milhões delas, com um banco de dados de mais de 75 milhões de clientes com cartões de crédito.

Hoje, a Apple anunciou que a partir de 1º de abril de 2009 a iTS finalmente passará a oferecer uma maior flexibilidade de preços: juntando-se aos tradicionais US$0,99, as gravadoras poderão vender faixas tanto por US$0,69 quanto por US$1,29.

Mas o grande anúncio foi relacionado ao iTunes Plus: finalmente, todo o acervo da loja se tornará livre de DRM. A Apple acaba de fechar acordos com a Sony, Warner e Universal, que juntam-se à EMI no programa de músicas livres de tecnologia para controle de direitos autorais. Todas são codificadas em AAC 256Kbps e podem ser “atualizadas” do modelo anterior com apenas um clique. A partir de hoje, 8 milhões de faixas já entram no programa. Até o final deste trimestre, as 10 milhões de faixas existentes na iTS estarão no iTunes Plus.

Para fechar, o Schiller anunciou que usuários de iPhones não mais estarão restritos a conexões Wi-Fi para acessar a iTS: agora, conexões 3G também são aceitas, de maneira que todo o acervo estará disponível igualmente, pelo mesmo preço, qualidade e tudo a que temos direito. Assim que o aparelho for conectado ao computador, evidentemente, as faixas são sincronizadas entre os dois.

Conclusão

Abertura da Macworld Expo 2009

Abertura da Macworld Expo 2009

Abertura da Macworld Expo 2009

Abertura da Macworld Expo 2009

Abertura da Macworld Expo 2009

Acho que valeu o evento. Na minha opinião, um comentário rápido sobre o Mac OS X 10.6 Snow Leopard era válido, mas quem sabe ainda não esteja na hora. Além disso, a ausência de qualquer anúncio relacionado ao Mac mini levanta muitas questões — será que a máquina está mesmo para ser descontinuada? Ainda não dá pra saber, mas lembro que o Mac mais barato de todos está “largado” desde agosto de 2007. Que coisa…

Bom, o evento está só começando. Mais tarde volto com mais informações para vocês. Haja correria! 😀

Realização: MacMagazine e Gol Mobile
Realização: MacMagazine e Gol Mobile

Posts relacionados

Comentários