Injeção de apps (na sua testa) VIII

Logo - App Store

iPhone App StoreDepois de um longo e tenebroso inverno, cá estou novamente com dicas de apps gratuitos. O tema de hoje é LEITURA: traças de livros, regozijai-vos, pois os eBook readers definitivos são o iPhone ou o iPod touch! Realmente não tem pra ninguém: com sua maravilhosa tela de 3,5 polegadas, bateria de duração mais que aceitável e interface multi-touch (sem falar na portabilidade extrema), é perfeitamente possível passar algumas horas ouvindo suas músicas e lendo, enriquecendo a sua mente. Como eu sou o tipo de pessoa que lê até rótulo de xampu, senti-me no paraíso.

Sem mais delongas, vamos às dicas?

StanzaStanza

Produzido pela Lexcycle, este app é a mais perfeita biblioteca virtual em língua inglesa que eu já vi. O porquê disso? Primeiro, é de graça. Segundo, não existem prazos de devolução. Terceiro, conta com um acervo imenso de livros para venda e muitos, muitos gratuitos — seja por serem de domínio público, seja por terem licenças Creative Commons. Com tanta praticidade, comodidade e relação custo/benefício positiva, não tem como não se apaixonar.

Logo ao instalar o Stanza (link para a App Store), você se depara com as opções de sua biblioteca: títulos, autores, assuntos, últimas leituras. Assim é possível ter uma visão geral de seus livros e até retomar a leitura de qualquer deles um do ponto em que você parou com poucos toques. É possível, ainda que de forma fajuta, ver sua coleção em Cover Flow ao colocar o aparelho na horizontal — paradinha, até que engana, mas não espere pela animação suave do original. De brinde, você já ganha The Time Machine, do H.G. Wells, além de um manual de instruções super conciso para o app.

Stanza — "Cover Flow"

“Só que eu não vou passar o resto da vida lendo um livro só, né?”, você pode dizer. E aqui, o Stanza brilha: logo abaixo das opções superacitadas, você tem acesso ao catálogo online, que conta com uma série de lojas de livros e bibliotecas abertas — minha super, super favorita é a Feedbooks, de onde foram tirados os livros usados nesta avaliação. Ela conta com uma infinidade de títulos de domínio público escritos por grandes autores, com artes de capa e resenhas. Minha obsessão paixão por Alice in Wonderland, do Lewis Carroll, encontrou seu lugar, finalmente. 🙂

É possível ver listas de livros separados por assunto, mais populares, recentes, em ordem alfabética… enfim: as opções variam a depender do acervo, mas, de maneira geral, é fácil e rápido encontrar um bom livro, ou até mesmo procurar por algum favorito. Ao escolher o que quer baixar, basta tocar em Download e BOOM!, depois de alguns segundos, a obra já está pronta pra ser lida — assumindo que, para terror da Alice, o livro não tenha figuras. O melhor de tudo é que, uma vez baixada, a obra fica disponível offline.

Stanza — acervosStanza — lista de livrosStanza — resenha no Feedbooks

“E eu posso ler eBooks que eu tenho no meu computador?”, você pode perguntar. A respostas são SIM e NÃO. A Lexcycle disponibiliza gratuitamente um aplicativo desktop compatível com Windows e Mac OS X, o qual permite que você converta seus arquivos PDF, RTF, DOC e outros formatos populares (inclusive aqueles com DRM eReader) e sincronize-os com o app dos portáteis da Apple: basta que o computador e o gadget estejam na mesma rede Wi-Fi. Só que tal aplicativo não é oficialmente compatível com processadores 64-bit, o que exclui muitos dos computadores com uma maçã no verso (Intel Core 2 Duo, já era). Achei isso o fim da picada: em comentários no próprio FAQ da Lexcycle, usuários já reportaram que o aplicativo funciona perfeitamente, então por que não dar suporte oficial? CYA ou lerdeza? 🙁

Em termos de customização, o Stanza se fortalece mais um pouco: você pode escolher a fonte com que quer visualizar as obras, as cores de fundo, da fonte e dos links, é possível inverter as cores, para facilitar a leitura no escuro, ler com o aparelho em retrato ou paisagem, gerar marcações personalizadas… Isso sem falar que ele sempre lembra em qual página você parou e, ao reiniciar o app, você é mandado direto para ela — e sim, há uma opção para desativar isso, caso você seja adepto da leitura “Command + Tab” (mais de um livro ao mesmo tempo).

Com a praticidade, eficiência e infinidade de livros à disposição, não dá para não se apaixonar pelo Stanza. Infelizmente, a maioria esmagadora das obras está em inglês (se bem que eu peguei Alice em alemão, para praticar): caso você não seja proficiente nesta língua ou não esteja interessado em praticá-la, esta dica será de pouca valia. Contudo, se você lê em inglês e quer expandir seu vocabulário ou passar o tempo em companhia de grandes mestres da literatura, não tem nada melhor. IMHO: 4/5 Seu companheiro numa noite chuvosa.

Knife MusicKnife Music

Knife Music (link para a App Store), na verdade, é um livro completo. Nem mereceria ser chamado de “app”, na minha opinião. Porém, uma certa polêmica se estabeleceu em torno dele e, com a minha curiosidade atiçada (e o autor diz “Mission Accomplished!”), resolvi checar o motivo do auê.

Relembrando: Knife Music foi proibido de entrar na iPhone App Store por conter linguagem vulgar, algo extremamente corriqueiro em pulp fiction. Contudo, alegando não estar em busca de defender uma ideologia, mas sim de divulgar seu trabalho, o autor, David Carnoy, “limpou” o texto e reenviou-o à Apple, conseguindo a aprovaçãoa versão impressa, porém, continua com todas as profanidades intactas. Sem falar que este livro também serve de divulgação para uma ferramenta de produção de eBooks para iPhone, o TouchBooks Reader 2.0.

Bem, deixando o marketing de lado e entrando no app livro em si, devo dizer que é uma leitura bem mais-ou-menos. Nada de incrível, apenas mais um livro policial com direito a mortes, sexo, intrigas e muitos palavrões — que, mesmo depois da “limpeza”, continuam fáceis de detectar. Um ponto, porém, se destaca: a não-linearidade da narrativa dá um pouco a sensação de estar assistindo a Cold Case, sem falar que aumenta a tensão sem estragar as surpresas.

Knife Music — promoKnife Music — configuraçõesKnife Music — seletor de capítulos

Apesar de não contar com tantas opções, a leitura é agradável aos olhos e o app tem uso fácil e intuitivo. Sem falar que, por ser gratuito, vale mais que a pena. Ao invés de pagar R$20 por um pocket book na seção de importados de uma livraria, é possível devorar conteúdo similar, passar o tempo e divertir-se sem ter que carregar peso, matar árvores ou sair de casa para comprar o livro! Kudos pela praticidade, ainda que o conteúdo não seja estelar. Então a dica fica valendo para os livros em geral, Knife Music sendo apenas o representante da classe: encontrou um livro que te interessa e ele está de graça? Go for it. IMHO: 3/5 Conseguir livros gratuitamente usando a App Store, ainda que não sejam de grandes autores da atualidade, é um ótimo esporte.

Espero que tenha gostado das dicas: lembre que ler é o melhor remédio para doenças vocabulares (“neísmo”, “queísmo”, “tipo-assite” e “interenetês pernicioso”, por exemplo). Com o Stanza, assumindo que você consiga instalar o aplicativo desktop, você pode facilmente transferir uma biblioteca de títulos para seu gadget, no idioma que for, sem ocupar espaço, pesar ou servir de alimento para traças/mofo.

Leia muito, leia mais, leia tudo o que passar na sua frente — e, lógico, leia sempre o MacMagazine! 😉 E até a próxima, com mais dicas de apps 0800.

Caso você não seja cadastrado na iTunes Store norte-americana, sorria, pois os apps aqui avaliados estão disponíveis na loja brasileira! 😀

Posts relacionados

Comentários