Cadê o tão falado e prometido serviço de notificação push em plano de fundo no iPhone?

Push notifications no iPhoneEm junho de 2008, na WWDC, a Apple anunciou que lançaria um serviço de notificações push para o iPhone, que permitiria aos aplicativos enviarem informações e alertas para o usuário mesmo quando não estivessem abertos. É o mesmo que acontece no Mail: uma vez habilitada a opção “push” no recebimento de dados, o usuário é alertado sempre que chega uma nova mensagem.

Todo mundo ficou maravilhado: “Nossa, que legal!” E ficou acertado que em setembro a novidade chegaria para todos nós. Bom, agora em janeiro (quase fevereiro) está todo mundo se perguntando: “Cadê?” Já circulam piadinhas na mídia especializada de que a Apple avisou apenas o mês do lançamento, não o ano… A Maçã se calou sobre esse furo no lançamento e mais: ainda removeu a funcionalidade do desenvolvimento de novos SDKs para o iPhone.

O serviço de notificações push (Push Notification Service, em inglês, ou simplesmente PNS) ajudaria a compensar a falta de um sistema total de multitarefas — considerado o ponto fraco do iPhone. Hoje, apenas alguns programas — da própria Apple — no gadget apresentam essa funcionalidade: iPod, SMS, Mail e as funções do telefone que funcionam no background do iPhone. Isso coloca os desenvolvedores independentes em desvantagem em relação aos programas da própria Apple, pois têm que abrir mão de um tipo de funcionalidade que muitos usuários — acostumados com a experiência em desktops — aprenderam a usar.

Um exemplo de programa que só teria a ganhar com as notificações em plano de fundo seriam os mensageiros instantâneos. Hoje em dia, o AIM não funciona no background, apenas o tempo que você está nele, com o aplicativo aberto. Apertou o botão e voltou para a tela do início… pronto: já desconectou e, para voltar, é preciso relogar o programa. O mesmo vale para o Fring, comunicadores da web e outros.

Com as notificações push, você poderia estar logado por mais tempo e poderia usufruir melhor desses aplicativos. O mesmo vale para outros: leitores de feeds RSS (aka agregadores), que hoje em dia forçam o usuário a buscar novas informações, ao invés de proporcionar o básico da tecnologia, que é de as próprias informações virem até a pessoa.

E os usuários de rede sociais — Orkut, Facebook, etc. e tal —, Twitter, Flickr e assim por diante? Poderiam se valer da notificação push para, em tempo real, serem avisados de novos recados, avisos e comentários.

Muitos outros segmentos de apps poderiam aproveitar o sistema que, infelizmente, a Apple tanto alardeou, mas agora sentou em cima e faz questão de disfarçar. Depois da gafe do MobileMe, acredito que a Apple queira a todo custo evitar o lançamento produtos que não estão 100%. Seria este, então, o caso do PNS? Mas, pois bem, não valeria acabar com o silêncio e deixar o público a par?

Para relembrar, este é o famoso anúncio feito na WWDC ’08:

[youtube]http://br.youtube.com/watch?v=M3fMDdmcsaU[/youtube]

Ok, podemos argumentar que hoje o usuário do iPhone nem liga pra isso, pois aprendeu a lidar com essas “falhas” do sistema e não se importa com o que mais poderia ter. Ama/usa o gadget desse jeito e, em outras palavras, se vira. Porém, não é triste saber que o gadget mais legal do momento poderia ser muito, mas muuuito mais do que é hoje?

[Via: Macworld.]

Posts relacionados

Comentários