Assim como o GarageBand, iPhoto ’09 possui recursos não suportados em Macs PowerPC G4

iPhoto '09Quando escrevi sobre a incompatibilidade do novo recurso “Learn to Play” presente no GarageBand ’09 com Macs PowerPC, me posicionei de forma a acreditar que se tratava muito mais de limitações de performance dessas máquinas do que o fato de a Apple estar descontinuando de vez o suporte a Macs PowerPC — ok, não faz muito sentido, se colocarmos um Power Mac G5 na jogada, mas vai entender Steve Jobs, não é? –, já que ainda não chegou a hora para isso acontecer, na minha opinião.

De fato, o GarageBand não é o único aplicativo com recursos não suportados em Macs mais antigos. Alguns dos temas de slideshow do novo iPhoto ’09 também são limitados a máquinas G5 ou Intel, depedendo do caso. Para que todos eles estejam disponíveis para serem usados, é preciso que a máquina possua uma GPU com pelo menos 64MB de memória.

Do contrário, as limitações podem variar, dependendo do processador da sua máquina. Caso ele seja um G5, apenas os temas Classic, Ken Burns, Scrapbook e Sliding Panels estarão disponíveis. Caso seja um G4, apenas os temas Classic e Ken Burns poderão ser usados. Um artigo de suporte da Apple está disponível com mais detalhes sobre o assunto.

Slideshow Themes do iPhoto '09

Venhamos e convenhamos: esses temas dependem diretamente da GPU dos Macs para rodarem. Julgando pelo fato de alguns deles contarem com efeitos notavelmente avançados, é óbvio que eles não rodariam em qualquer Mac com processador G4, já que o poder gráfico dessas máquinas é bem limitado em comparação com o das atuais.

Com o caso do GarageBand, é a mesma coisa: o “Learn to Play” requer um Mac que suporte vídeos em alta resolução. Geralmente, um Power Mac com processador G4 de 1GHz e 512MB de memória já daria conta do recado, mas de forma bem limitada pela natureza do hardware, não pelo fato de a máquina ter um chip PowerPC. A brincadeira que eu fiz no início desse artigo é relacionada com isso: achei um exagero tornar os bons Macs G5 — que provavelmente estão na mesa de muitos de vocês — incompatíveis com o “Learn to Play”, mas, até segunda ordem, esse caso é simplesmente particular, o que para mim é uma pena…

Posts relacionados

Comentários