Como fazer um podcast profissional com o GarageBand

Colaboração especial por Evandro Paes dos Reis.

Ícone de PodcastsPodcasts são a sensação da Internet. Permitem uma forma mais ampla de comunicação com o público desejado sem o rigor da linguagem escrita. Além disso, hoje em dia é simples fazer um podcast: basta um micro, de preferência um Mac (imbatível no quesito fazer podcasts — como em tantos outros), um microfone (pode ser do próprio Mac) e um editor de músicas (que também já vem nos Macs).

Mas será que só isso é suficiente? Podcasts são aqueles casos clássicos em que a tecnologia e a forma são atores coadjuvantes do produto final. O que difere um bom podcast de um “podcrap” está mais ligado ao conjunto tema + narração + edição do que à tecnologia em si.

Para você poder fazer um podcast, é preciso balancear dois componentes complementares: a tecnologia e o talento humano. Se escrever é para poucos, fazer um podcast é para os mínimos. Mas isso não significa que você não possa tentar. Afinal, somente estando na posição de podcaster é que você vai saber se tem talento para a coisa.

É necessário seguir alguns passos antes de partir para a criação propriamente dita do seu podcast. Em breve pretendo inaugurar meu próprio, mas as aulas de canto ainda não me permitem 🙂

Antes de criar o podcast

Existem basicamente duas fases para a criação de um podcast. A primeira é a preparação (80% do trabalho) e a segunda é a confecção (20% do trabalho e a mais divertida). Você deve seguir os passos em sequência, se quiser produzir algo bom.

Passo 0. Pergunte a razão para fazer o podcast.
Fazer um podcast apenas por fazer pode ser uma experiência interessante, mas será uma falta de respeito com seus ouvintes, se você não tiver a motivação de continuar.

Passo 1. Defina seu público.
Saber com quem você vai falar é de extrema importância, pois só você poderá definir o estilo de seu podcast. Falar de jeito formal para um público mais jovem não vai dar audiência, assim como “trocar uma ideia manera com um público mais careta, é KO, sacou?” Sobre qual assunto você vai falar é de menor relevância, se você souber com quem e como vai falar.

Passo 2. Defina o tema.
As tribos, não importam quais, sempre têm diversos temas que gostam de discutir. Cabe ao criador do podcast buscar um que possa ser do interesse do público escolhido. Não adianta você escolher bem o público, se o tema não for do interesse do mesmo. Procure temas que possam ser facilmente identificados pelo seu público. Um podcast muito genérico pode não atrair um número interessante de ouvintes. Ao invés de fazer um podcast sobre “Mac OS X”, procure fazer um podcast sobre “Internals do Mac OS X”. O público saberá exatamente o que esperar.

Passo 3. Defina a periodicidade.
Observe que o passo 1 tem uma total liberdade de escolha. Já o passo 2 é função do passo 1, ou seja, seu público direciona sua escolha do tema. O passo 3 é função dos passos 1 e 2, portanto, perceba que você está refinando suas escolhas. Se você escolheu um público que demanda informação atual e o tema muda todos os dias, adivinhe qual a periodicidade de seu podcast? Acertou! Ou você atende às expectativas de seu público sobre aquele tema, ou é melhor nem começar. Se você vai falar sobre a Bolsa de Valores, não adianta ter um podcast mensal. Até um semanal passa, se seu podcast for sobre análise macro da conjuntura, mas mais do que isso vai ficar no ostracismo.

Passo 4. Crie um ambiente propício para gravar seus podcasts.
Entenda-se por “ambiente propício” um lugar que permita que você capte com maior fidelidade as coisas que quer falar. O mais comum é ter um ambiente fechado, acusticamente adequado e que ofereça pouca distração ao seu ouvinte. Claro que você pode gravar ao ar livre, captando todos os sons ao redor, se seu podcast for sobre isso; mas, se você quer fazer algo similar a um programa de rádio com toque mais intimista, você precisará de um lugar silencioso. Se optar por um microestúdio, procure isolá-lo com lâminas de espuma (facilmente encontradas em lojas especializadas) e escolha um lugar onde barulhos externos sejam menos percebidos.

Passo 5. Escolha o “tom” de seu podcast.
Seu podcast vai ter um caráter mais crítico? Ou mais bem humorado? Você terá entrevistados ou somente você falará? Uma vez que tenha definido isso, procure manter o mesmo tom, a não ser que o feedback tenha sido negativo. Isso faz com que você crie uma química com seus ouvintes. Shows sem tom tornam-se muito chatos e perdem audiência. Você pode começar com o estilo “Good Morning, Vietnam” se esse for seu caso, mas lembre-se: mantenha o tom. Sempre.

Passo 6. Defina a estrutura de seu podcast.
Escolha como você vai apresentar o podcast. Abertura, trilha sonora, tópicos e fechamento são as coisas mais importantes de um podcast. Manter a estrutura ajuda o ouvinte a manter a atenção. Observe, por exemplo, shows de TV nos quais as coisas melhores são guardadas para o final. Procure criar seu próprio estilo e fique com ele.

Passo 7. Crie um script para cada episódio.
Podcasts improvisados podem ser bons, mas requerem um nível de energia e atenção difíceis de serem mantidos em todos os episódios. Defina o que você vai falar antes de começar a gravar. Não precisa ser nada complexo, mas deve ter começo, meio e fim. Veja abaixo um exemplo de script de um podcast fictício.

Passo 8. Imagine que você está falando para um grupo de pessoas amigáveis e que gostam de você.
Muitos dos problemas dos podcasts é que os narradores ficam intimidados com o microfone, achando que estão falando para uma máquina. Isso é refletido na entonação e na dicção. E a qualidade cai. Não precisa ser um Hélio Vaccari, mas imaginar-se em um ambiente onde vários amigos o estão escutando pode ajudar a quebrar a barreira da gravação.

Gravando seu podcast

Agora vem a parte mais divertida: gravar o podcast. Isso não significa que você não deva tomar alguns cuidados aqui também, mas eles são menores do que os passos anteriores.

Para você fazer um podcast profissional, você precisará de:

  1. Um Mac, de preferência um desktop, pois os notebooks podem atrapalhar na hora da gravação. Nunca sabemos quando a ventoinha irá entrar em ação e danificar nosso som. Desktops podem ser colocados longe do microfone, diminuindo esse risco.
  2. Um microfone, talvez a parte mais importante na gravação de seu podcast. Quer gravar um podcast com o microfone embutido do Mac? Ok, mas não espere ganhar nenhum elogio pela qualidade de som dele. Apesar de os microfones dos Macs serem muito bons, eles não têm algumas características necessárias para gravar um podcast de nível profissional. Se optar por um microfone externo, você terá duas opções: dynamic ou condenser (dinâmicos ou condensadores). Dinâmicos são mais apropriados para gravações externas; já os condensadores são melhores para estúdios. Porém esses microfones precisam de uma fonte externa, ou seja, eles não podem ser ligados diretamente no Mac. Profissionais de rádio usam microfones condensadores. Se você quiser mais detalhes sobre microfones, sugiro dar uma lida neste artigo Sérgio Izecksohn. Uma outra coisa de que você vai precisar é um filtro pop, que evita aqueles sons de “puf” quando você fala a letra “p”. De acordo com o Sérgio, “os microfones mais usados são o Neumann U87 e AKG C-414. O AKG C3000, de menor custo, é uma boa solução para o microestúdio. O microfone deve ficar sempre no pedestal, com suspensão própria e uma tela para filtrar o som da voz e barrar a emissão mais forte do ar, que causa o indesejável ‘puf’ na gravação. A distância varia de acordo com a potência vocal do cantor, geralmente entre 20 e 70 centímetros, mais ou menos na altura dos olhos. Usando-se um microfone dinâmico (no pequeno estúdio), deve-se posicioná-lo a 45 graus da boca do cantor, a uns 5-10cm.” Os preços variam entre R$150 e R$1.000.
  3. Um pré-amplificador, que serve para conectar o microfone ao micro. Serve também para amplificar o som e filtrar barulhos desnecessários. Isso tudo significa melhorar a qualidade do som de seu podcast. Lembre-se: é sua voz que irão escutar, portanto, quanto melhor… melhor! 😛 Você pode escolher entre vários pré-amplificadores, tais como o M-Audio FireWire 410, que custam entre US$300 e US$500. Acima disso, já é um exagero.
  4. GarageBand, software da Apple que tornou a edição de música uma coisa tão simples que parece um jogo. Muito divertido. E já vem com os Macs! Ebaaa!! 🙂

Bom, acho que já deu para termos uma ideia do trabalho (e do gasto que teremos, :0)) ao produzir um podcast profissional. Mesmo assim, vale a pena. Na segunda parte deste artigo, mostrarei como criar um podcast usando o GarageBand e algumas outras ferramentas.

Carpe Diem.

Posts relacionados

Comentários