Nova queixa da Psystar repete acusações de copyright contra a Apple

A fabricante de clones Psystar entrou nesta quinta-feira com uma reclamação atualizada contra a Apple, argumentando que a firma de Cupertino estaria abusando de leis de copyright ao atar o seu sistema operacional com os computadores que fabrica. Não sei não, mas eu acho que já ouvi isso antes

Na semana passada, o juiz William Alsup deu luz verde à Psystar para que entrasse com uma queixa alterada em sua batalha contra a Apple, de maneira que removesse a reclamação anti-truste e que fosse em frente com o caso de mau uso de leis de copyright.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=maIgu_7oLm0[/youtube]

Steve Jobs dá fim ao programa de licenciamento de clones da Apple na Macworld Expo de Boston, em 1997

Para provar seu ponto, a Psystar referencia o próprio Contrato de Licença de Uso do Usuário da Apple (o EULA), que determina que usuários concordam em instalar o Mac OS X apenas em computadores com a marca Apple.

Ela ainda cita Phil Schiller, vice-presidente sênior de marketing de produtos mundial da Apple, que em 2005 afirmou que ela não faria nada para impedir que as pessoas rodassem o Windows em Macs, porém não permitiria que o Mac OS X rodasse em hardwares não-Apple. De acordo com a Psystar, a Apple injeta um código em seu sistema operacional que causa kernel panics em máquinas não reconhecidas como “oficiais”.

A Apple tem, agora, 20 dias para responder à nova queixa.

[Via: AppleInsider.]

Posts relacionados

Comentários