ZumoDrive quer se tornar o melhor serviço de cloud computing possível para armazenamento de dados

ZumoDrive (logo)Se você não está satisfeito com o MobileMe — mesmo com os aprimoramentos recentes — ou não vê razão para pagar US$100/ano por ele, o ZumoDrive pode ser uma boa alternativa para você, que procura uma solução de cloud computing para colocar seus arquivos na rede e poder acessá-los de qualquer lugar.

O serviço, que acaba de ser aberto ao público, é gratuito para quem só precisa de 1GB de espaço, com assinaturas mensais disponíveis a partir de US$3 para 10GB, até US$80 para 500GB. Sim, é isso mesmo: oitenta dólares por mês! Se considerarmos que o Dropbox custa US$10/mês (ou US$100/ano) por 50GB, a coisa assusta um pouco.

ZumoDrive no iPhoneO diferencial do ZumoDrive já começa em compatibilidade e integração. Usuários podem usá-lo em Macs, PCs, netbooks e até no iPhone — seu aplicativo oficial já está no ar na App Store (Supersize Me – Zumo Drive).

Mais que isso, o espaço na nuvem serve até mesmo para você armazenar todas as suas músicas do iTunes, transmitidas online no momento da reprodução. Ou seja, você pode ter 100GB de músicas no seu iPhone, independente de onde estiver, sem ocupar 1KB sequer na memória interna dele.

Outro aspecto bastante comentado pelos criadores do serviço é performance. Segundo eles, navegar pelo drive virtual do Zumo no desktop é quase como se você estivesse mexendo em arquivos locais. Além disso, ele armazena todos os que você mais utiliza também no disco rígido local, permitindo que você continue trabalhando mesmo quando não tiver uma conexão à internet disponível no momento.

Confira este vídeo de apresentação:

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=vr3UiKkQ3GE[/youtube]

Se você gostou, é bom lembrar que não custa nada experimentar. Eu, particularmente, achei o projeto interessante. 🙂 Ele não serve propriamente como um substituto ao MobileMe — falta email, calendário, contatos, etc. —, mas pode ser um ótimo complemento para quem já usa esse tipo de serviço gratuitamente pelo Google, por exemplo.

[Dica do Geziel Nascimento, obrigado!]

Posts relacionados

Comentários