Com update na linha de desktops, Apple concentra esforços sustentáveis em todos os seus produtos

A série de atualizações lançadas pela Apple durante esta semana consolidou a adoção de esforços sustentáveis em todos os seus produtos, o que viemos acompanhando desde o segundo semestre do ano passado, com os updates na linha de iPods e de MacBooks. Agora, ela especifica com detalhes o impacto ambiental de cada um dos seus produtos nas suas respectivas páginas do seu site, além dos seus press releases, peças publicitárias e da sua página central sobre sustentabilidade.

Produtos da "Maçã Verde"

David Moody, vice-presidente de marketing de produtos de hardware da Apple, falou recentemente ao Macworld sobre os recentes esforços da Apple destinados a tornar seus produtos mais amigáveis à natureza. “Estamos dispostos a criar e construir os computadores mais verdes da indústria”, disse ele.

Todos os novos desktops da Apple atendem aos requisitos Energy Star 5.0, além de terem recebido classificação EPEAT Gold, assim como a sua linha de portáteis já é desde outubro. De fato, algumas mudanças ocorreram no processo de fabricação desses produtos, já que são produzidos utilizando alumínio e plásticos de alta qualidade (este último para o iMac e o Mac mini), sem utilizar PVC ou retardantes de chama à base de brometo.

No campo burocrático, a Apple também tem mostrado alguns esforços. Recentemente, a sua página sobre meio ambiente ganhou um novo informativo esclarecendo aos clientes e investidores sobre como o consumo de dióxido de carbono de cada um dos seus produtos é calculado — levando em consideração o seu ciclo de vida útil. Revisado pelo Instituto Fraunhofer (da Alemanha), a publicação desse estudo é algo inédito entre fabricantes de computadores. A Greenpeace, claro, foi rápida em destacar a iniciativa da Maçã e motivar outras OEMs a fazerem o mesmo, porém até universidades estão adotando o uso de Macs considerando o seu impacto ambiental.

Já no varejo, as Apple Retail Stores também estão com uma nova política de compras em que foram abolidos os sacos plásticos, desde pouco antes do lançamento dos novos Macs. Como as embalagens desses produtos agora são menores (usando menos material para produção) e mais fáceis de serem manipuladas, os clientes estão sendo orientados a deixar as compras na loja enquanto ainda não se dirigem às suas casas — para o caso de estarem passeando em shoppings –, além de receberem acompanhamento dos funcionários para levá-las até os seus carros. Essa nova iniciativa se tornará cada vez mais popular assim que mais cidades ao redor do mundo proibirem o uso de sacos plásticos em lojas. Paris, Londres e San Francisco são alguns exemplos.

No fim das contas, a Apple está fazendo muito bem a sua parte para o desenvolvimento sustentável. No entanto, seria interessante se essa política de proteção à natureza deixasse de ser focada nas grandes empresas, mas também nos seus clientes. Basta levar em consideração que uma fabricante de computadores apenas é responsável pela produção deles: os usuários também devem ter consciência em utilizá-los da forma mais econômica possível e manipulá-los corretamente no dia em que forem inutilizados. De uma forma geral, todo ser humano devia pensar em sustentabilidade sem se importar com instituições não-governamentais, em todos os aspectos: afinal de contas, adianta o computador ser “verde” se quem está entre a cadeira e o teclado não é? 😉

Posts relacionados

Comentários