Confira benchmarks atualizados do novo Mac Pro, além de fotos e vídeo do seu interior

Mac Pro com LED Cinema Display

Passado o alarde inicial do lançamento do novo Mac Pro e o aparecimento dos primeiros benchmarks da nova máquina, testes mais intensos com os novos produtos puderam ser realizados, mostrando que os resultados iniciais subestimaram o seu real ganho de desempenho quando comparado aos modelos anteriores. Em resumo, a máquina é muito mais veloz do que se imaginava inicialmente, principalmente quando submetida a processos em multi-tarefa.

Mac Pro com LED Cinema Display

Os números mais recentes — obtidos usando o CineBench 10 — mostram que modelos do novo Mac Pro configurados com apenas um processador Xeon quad-core de 2,66 ou 2,93GHz fizeram pontuação bastante superior em single-threading do que das máquinas da geração anterior com dois processadores quad de 2,8 e 3,2GHz, respectivamente. Apesar de esses resultados positivos não se repetirem em multi-threading, isso comprova o que comentei anteriormente: investir em um Mac Pro quad-core com chip de alta frequência pode ser mais vantajoso no momento do que considerar um octo-core com dois processadores de frequência menor, mas isso pode variar com as necessidades do usuário e as soluções que utiliza.

Já em multi-threading, o ganho de desempenho é ainda maior. Um Mac Pro octo-core de 2,26GHz pode superar o modelo básico anterior (2,8GHz) com enorme facilidade. Se o usuário for utilizar aplicativos que tiram vantagem desse tipo de tecnologia, essa máquina pode ser uma ótima escolha. Além disso, é importante lembrar que as possibilidades de expansão do Mac Pro são ainda maiores nestes novos modelos, assim o investimento pode render melhores resultados para o usuário.

A seguir, uma classificação geral feita por um usuário dos fóruns do MacRumors mostra como as novas máquinas são superiores às antigas:

Desempenho do Mac Pro 2009 no CineBench 10

Deixando um pouco de lado a superioridade dos novos Macs Pro no desempenho, outro aspecto importante neles é a facilidade de se adicionar recursos físicos, como memória e GPUs. A fim de comprovar isso, o Engadget fez uma análise do interior da unidade que recebeu, e é fato que está muito mais fácil de se fazer upgrades do que antes.

Mac Pro 2009
Notaram que a caixa deste também está suja? 😛

Mac Pro 2009

Enquanto os quatro slots para substituição de HDs continuam do mesmo jeito, uma baia deslizante na parte inferior dá acesso aos dois processadores Xeon e aos oito slots de RAM. Para fazer uma troca, basta trazê-la para fora ou até removê-la, se for preciso:

Mac Pro 2009

Mac Pro 2009

Os slots PCI ficam entre os HDs e a baia deslizante onde ficam processadores e pentes de memória. Adicionar uma ou mais GPUs é bem fácil nessa configuração: por padrão ele vem com uma GeForce GT 120, embora eu manifeste minha preferência pela nova ATI Radeon HD 4870, mesmo que não seja possível incluir mais de uma:

Mac Pro 2009

Mac Pro 2009

Deixando as bajulações de lado, creio que nunca um computador foi construído de forma a ser tão fácil de receber upgrades quanto este. O vídeo a seguir mostra as possibilidades de expansão da máquina com maior clareza:

[viddler id=392c3d88&w=545&h=451]

Para conferir mais fotos feitas pelo Engadget da nova máquina (são 87, no total), clique aqui.

Posts relacionados

Comentários