Músicas da iTunes a US$1,29 despencam em rankings do Billboard

Ninguém apostaria que a estreia de um modelo com preços variados na iTunes Store elevaria a popularidade de músicas, mas também não dava pra imaginar que as mais caras teriam sua colocação em rankings de vendas tão afetada, reporta o Billboard.biz. Parece que o preço elevado tem compensado e as gravadoras em si não começaram a perder dinheiro, mas isso por enquanto — a queda em vendas não pode superar 23,3%, segundo cálculos.

Gráfico de músicas mais caras na BillboardÀs vezes, para um artista, é muito mais valioso estar entre os 10 mais vendidos (de preferência, no topo da lista) do que ganhar mais dinheiro com cada venda. O aumento de 30 centavos de dólar certamente agitou a indústria e já mostra como as músicas que continuam custando os tradicionais US$0,99 estão em vantagem em relação às mais caras.

Tão poucos dias não são suficientes para que se estabeleça um padrão/tendência de fato, mas é algo a se observar. Como já foi dito antes, é o próprio mercado que ditará os preços das faixas: se as de US$1,29 começarem a encalhar, aos poucos as coisas mudarão de novo por lá. Só para se ter uma ideia, já na quinta-feira as 40 músicas de US$1,29 nos gráficos Top 100 caíram uma média de 5,3 posições, enquanto as 60 restantes de US$0,99 subiram uma média de 2,5 posições.

É, no final das contas, parece que Steve Jobs tem agora algo a esfregar na cara de todas as gravadoras quanto à sua insistência, por anos, de manter os US$0,99 por faixa.

Posts relacionados

Comentários