Como esperado, Amazon.com anuncia Kindle DX, irmão maior do Kindle

Amazon Kindle DX

Publicidade

Conforme previsto na segunda-feira e “confirmado” ainda ontem pelo Engadget, a Amazon.com anunciou hoje durante um evento com a imprensa realizado em Nova York o Kindle DX, uma versão maior e mais completa do seu famoso leitor de eBooks, o Kindle.

O produto já está disponível para pré-compra por US$490 e chegará ao mercado no meio do ano, trazendo uma tela de 9,7 polegadas (824×1200 pixels de resolução) — perfeita para a leitura de documentos como jornais, livros-texto e artigos de pesquisa. O atual modelo de 6 polegadas atende a boa parte dessas necessidades, mas certamente não é tão bom e adequado quanto o novo.

O Kindle DX incorpora um acelerômetro para rotação automática de conteúdos (à la iPhone/iPod touch) e aumenta a capacidade interna do Kindle para 3,3GB, o que permite o armazenamento de até 3.500 livros, periódicos ou documentos. Tal como o Kindle (que continuará saindo por US$360), o DX oferece acesso 3G pela rede sem fio da Sprint, possibilitando download de conteúdos independente de onde você estiver (um livro é baixado em menos de um minuto). Assim como reportamos anteriormente, ele também passa a ler PDFs nativamente.

Amazon Kindle DX

Não será apenas o The New York Times, mas também o The Boston Globe e o The Washington Post têm planos de oferecer assinaturas a longo prazo para o Kindle DX, levando o conteúdo das suas publicações à plataforma por preços mais em conta. Ele também é bastante direcionado ao mercado educacional: a gigante de e-commerce já anunciou parcerias de distribuição do Kindle DX do meio para o final deste ano, com a Universidade do Estado do Arizona, a Universidade Case Western Reserve, a Universidade de Princeton, o Reed College e a Escola de Negócios Darden na Universidade de Virgínia.

Amazon Kindle DX

O aparelho é tão fino quanto uma revista comum — cerca de 8 milímetros — e pesa apenas 290 gramas. Quer mais? A Amazon.com promete uma tela melhorada, com uma experiência de leitura ainda mais próxima de um papel real. Ela agora oferece 16 tons de cinza, com textos mais claros e imagens vívidas. A autonomia da bateria deve ser aumentada em 25%, para dias de leitura sem a necessidade de recarga. Por fim, ele ainda “vira páginas” 20% mais rápido que antes.

Como eu havia dito antes, eis um baita concorrente para a Apple e seu provável “iPod touch HD” de que tanto falam por aí. Adoro a concorrência.

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…