Em sinal de protesto, próximo álbum de Danger Mouse será um CD-R

Foto: Lake/WireImage
Foto: Lake/WireImage
Foto: Lake/WireImage

Com isso, o artista pretende dar um tapa com luva de pelica na cara da EMI, gravadora que pôs entraves na publicação de seu último trabalho, Dark Night of the Soul, do qual se diz “imensamente orgulhoso”. Mediante este estratagema, Danger Mouse (Brian Burton) pretende evitar um possível processo que se abriria contra ele caso prosseguisse à divulgação não-autorizada pelo selo musical.

Para não incorrer em ilegalidade, porém, um porta-voz deixou claro que todas as unidades a serem vendidas (numa embalagem de luxo, com um livro de mais de 100 páginas de fotos inspiradas nas músicas, assinadas por Davi Lycnh) trarão, claramente, os dizeres “Por razões legais, o CD-R aqui presente não contém músicas. Use-o como melhor julgar.”

Danger Mouse já é experiente, tendo trabalhado em uma mistura de músicas dos Beatles (The White Album) e do Jay-Z (The Black Album) — intitulada The Grey Album, não disponível comercialmente; uma provável razão para a ira da EMI — e na produção da ótima “banda cartum” Gorillaz e do ícone de rock alternativo, Beck.

Dark Night of the Soul, que conta com participações de Julian Casablancas (The Strokes), Frank Black (The Pixies), Gruff Rhys (Super Furry Animals) e Nina Persson (The Cardigans) e foi feito em colaboração com a banda Sparklehorse, já vazou para sites de torrents e pode ser ouvido num stream legal da web-rádio NPR (que talvez não fique no ar para sempre, infelizmente).

Eu já espiei um tanto do trabalho do cara enquanto escrevia isto e digo… IMHO: 4/5 Maldita seja, EMI! Vale demais a pena conferir.

[Via: Boing Boing.]

Posts relacionados

Comentários