De graça, até injeção na testa! XLIV

Músicas - 20090526Hoje, este post quase não sai: a iTunes Store tava um CAOS! Levou horas para atualizarem a página, cheguei a pensar que não haveria novidades, depois os links foram aparecendo a conta-gotas… Foi suado, o negócio. 😛

Como tudo na vida, porém, o que é mais difícil acaba recompensando: não pelas músicas da iTS, que estão totalmente meh, mas por uma dica do Chrystiano de Castro, da nossa equipe, tenho novidades muuuito interessantes para contar.

Já que eu não sou egoísta, aqui estou para compartilhar essas dicas preciooosssasss! Vamos a elas? 😀

Single of the Week

Vib GyorToda semana, encontramos uma faixa de um artista ou banda de que gostamos e a trazemos até você, gratuitamente, como nosso Single of the Week. O nome de chamar a atenção do grupo, Vid Gyor, é apenas um truque de mnemônica para as cores do espectro visível (violet, indigo, blue, green e por aí vai) [em português, o equivalente é Vla Vaav]. Os cinco britânicos por trás desta banda colorida, florescente, já colaboraram com produtores cujos currículos contêm Sigur Ros, Radiohead e The Cure — e influências de cada um deles podem ser achadas em “Fallen”, um faiscante etéreo que mostra letras de perseverança embaladas num cobertor quentinho de guitarras estratificadas.

Se você gostar da faixa, dê uma sacada no álbum. [10 faixas por US$6]

“Fallen” (link para a iTS) é realmente uma música boa e se encaixa perfeitamente numa categoria que eu e uns amigos chamamos de “Música de Créditos”. O filme acaba, as “letrinhas” começam a subir e… BOOM!, ela toca, fazendo a gente se enlutar pelo fim da história. Para se enquadrar neste perfil, basta uma canção ser lastimosa e bonitinha. Esta faixa é tudo isso e, como você mesmo pode conferir no MySpace, “Música de Créditos” parece ser a especialidade da banda. Apesar de ser legal, a faixa ficou devendo em atrativos: tudo nela é “ok”, mas nada chega a causar arrepios — e olha que tentaram e tiveram como. Quem sabe, no futuro… IMHO: 3/5 Obrigatória, para quem gosta de ficar no cinema até o fim dos créditos.

Discovery Download

Vieux Farka TouréNosso Discovery Download põe em foco um gênero diferente a cada semana, oferecendo gratuitamente uma faixa que julgamos merecer sua atenção. É difícil, quando se quer perseguir uma carreira artística indo contra a vontade de seus pais. A coisa fica exponencialmente mais complicada, portanto, se seu pai for o grande guitarrista/vocalista da África Ocidental, Ali Farka Touré. O guitarrista/vocalista/percussionista Vieux Farka Touré eventualmente herdou o dom de seu pai e seguiu em frente para fazer sua própria contribuição à música malinesa. “Fafa” apresenta uma base de tambores e percussão calmamente executada, sobre a qual os vocais urbanos e a guitarra magistral de Touré pairam sem esforço.

Se você gostar da faixa, dê uma sacada no álbum. [11 faixas por US$10]

Mais uma página para a seção World Music, na iTS. Não faço a menor ideia do que “Fafa” (link para a iTS) significa, mas pretendo tentar descobrir — logo. Mesmo sem entender nada do que o Touré canta nesta faixa, posso dizer que ela tem um ar etéreo, calmante, simplista, mas sem ser simplório. Não creio que ela venha a se tornar a favorita de ninguém, pelo menos não num primeiro momento: o ritmo e os sons dela são do tipo que cativam mais com o tempo. Para ver que o cara tem talento a valer na guitarra, confira outras faixas no MySpace. Mas tome cuidado ao tentar entrar no site oficial: apesar de ser totalmente comum, ele não passa de um imenso objeto em Flash! IMHO: 2/5 Aos que gostam de ritmos diferente, vale a pena baixar e deixar que ela surja espontaneamente nas suas playlists para relaxar.

Canción de la Semana

NaldoToda semana, encontramos uma faixa de um artista ou banda que está na crista do sucesso e a trazemos até você, gratuitamente, como nossa Canción de la Semana. O produtor de reggaetón porto-riquenho, Naldo, chamou a atenção de muitos frequentadores de clubes depois de suas contribuições às compilações Mas Flow. Seu estilo hábil, cheio de synths, está espalhado por toda esta faixa de seu álbum vindouro, enquanto o microfone é passado para De La Ghetto, para executar o doce trabalho vocal.

Se você gostar da faixa, dê uma sacada no álbum. [15 faixas por US$6]

Ele voltou: reggaetón! 😛 Mas não tema, esta faixa não é um lixo (completo). “No Sé Si Tú” (link para a iTS), com esse título de seis letras, te dá vontade de se matar, às vezes, mas tem horas em que ela acerta no alvo e consegue ser dançante e muito boa. Eu diria que esta faixa é uma colcha de retalhos: o vocal é altamente pós-produzido (Auto-Tune?), os instrumentos sintéticos são lugar-comum e ela ora é terrível, ora é maravilhosa. Ah, só pra você saber, o final dela é pooodre! Mais do mesmo músicas e parcerias do Naldo, você pode conferir no MySpace (“7 Mares” se salva, se quiser saber). IMHO: 2/5 Se você não estiver afim de se arriscar no reggaetón, poupe sua paciência e passe longe.

Video of the Week

The Crystal Method“Drown in the Now” é o primeiro single da dupla norte-americana de música eletrônica, The Crystal Method, lançado a partir de seu quarto álbum em estúdio, Divided by Night. A canção apresenta vocais do rapper/reggaeiro judeu Matisyahu. Numa entrevista, Scott Kirkland declarou que a canção era “bastante sombria e galvânica” e que os fãs a apreciariam.

[Adaptado da página sobre o single, na Wikipédia.]

Para não deixar a tradição morrer, mais um vídeo com um pé no nonsense: desta vez, uma Sin City dominada por Roombas misteriosos que se assustam com freestyling. 😛 A execução é tão absurda quanto o conceito, a ponto de ultrapassar a linha que separa o “estranho demais” do “tão estranho que é legal”. “Drown in the Now” (link para a iTS) é uma combinação interessante de música eletrônica de qualidade com arte… ehr… moderna. Um ponto positivo vai para a cidade virtual modelada em 3D, usando cel-shading (acho) e três cores. Já um ponto negativo é que a presença do Matisyahu nesse universo ficou um pouco perdida: apesar de uma composição genial em que ele e os “Roombas” aparecem diante de um mural pichado, quando ele começa a “apavorar” os robozinhos na base da rima, dá vontade de gargalhar. Valeu a tentativa, mas ficou cômico. Enfim, no geral, os caras do The Crystal Method estão de parabéns: confira mais da ótima música eletrônica deles no site oficial ou no MySpace. IMHO: 3/5 Bom para projetar no meio de uma festa, mas eu pouparia o espaço num iPod.

Álbum Virtual — Trama

Álbum Virtual - Trama(Que, de virtual, não tem nada: ele é muito é de verdade, até esgota!)

Primeiro, uma salva de palmas para esta iniciativa da Trama e suas parceiras: existe vida inteligente no mundo musical! Num movimento que espero ver crescer e se difundir, o selo musical deixou à disposição dos amantes de música álbuns completos para ouvir e baixar. A experiência é tão completa, que você pode escutar as músicas no site, enquanto folheia o encarte (o processo requer Flash) e, quando quiser, precisando apenas de um simples cadastro, baixa o álbum completo na forma de faixas MP3 codificadas a 320Kbps (tão bom quanto iTunes Plus!), com todas as informações no lugar e a arte de capa e contra-capa prontas para impressão. Faltou só nota fiscal…

Deixo a dica e recomendo que você dê uma olhada no site Álbum Virtual com carinho: certamente não veremos nomes badalados e famosíssimos pintando por lá (o foco do selo parece ser muito mais o circuito alternativo nacional), mas quem disse que música precisa ser conhecida pra ser boa? Além do mais, de graça… 😉

No momento, estão disponíveis os álbuns Donkey (CSS, aka Cansei de Ser Sexy; muito bom), C_MPL_TE (Móveis Coloniais de Acaju; ótimo), Chapter 9 (Ed Motta; não curto) e Artista Igual Pedreiro (Macaco Bong; vale conferir). Pelo tamanho da brincadeira, nem tive tempo de ouvir tudo, por isso não posso comentar muito a fundo, porém recomendo que você corra lá, antes que esgote tudo, como aconteceu com o Danç-êh-sá Ao Vivo (Tom Zé). Mais uma vez, kudos para a Trama e um grande obrigado ao Chrystiano, pela dica! 😀

. . .

Pessoal, que incrível! O rebote cármico veio com força, mas pelo menos deu pra esquecer um pouco a semana ruim na iTS com esses Álbuns Virtuais: vida longa e próspera à Trama. Tomara que outras gravadoras sigam o exemplo, nem que não deem álbuns completos com alta qualidade de compressão, mas pelo menos façam com que seja possível baixar músicas legalmente a um preço racional (e sem nos forçar a usar o Windows Media Player ou o Microsoft Silverlight, de preferência). Espero que esta iniciativa faça bastante sucesso e prove, de uma vez por todas, que os tempos mudaram: tá na hora de parar de vender CD a preço de pedra preciosa.

Ah, e não pensem que me esqueci de falar de artistas que cantam em idiomas diferentes: tive que dar uma paradinha porque, enfim, coisas inesperadas aconteceram e o tempo é curto. Mas está tudo anotado e semana que vem, se nenhuma outra novidade bombástica aparecer, falo mais! Bis dann! 😀

Caso você não tenha uma conta na iTS norte-americana, leia este post. As músicas da iTS aqui comentadas só podem ser adquiridas gratuitamente até 1º de junho e os Álbuns Virtuais não devem durar pra sempre, portanto não marque bobeira!

Posts relacionados

Comentários