Google planeja entrada no mercado de eBooks até o final de 2009

A loja de livros pode vir para ficar no lugar do Google Book Search, que oferece apenas uma previsão das publicações

A gigante de buscas está trabalhando em uma nova estrutura para dar aos seus parceiros online na busca de livros um espaço para venda dessas publicações pela internet, conforme reportamos anteriormente aqui no MacMagazine. Com a iniciativa, o Google deverá estabelecer uma estratégia de abertura de uma plataforma open source para leitura através da web, bem como enfrentar a concorrência direta da Amazon.com, que atualmente está entre as mais influentes nesse mercado.

A loja de livros pode vir para ficar no lugar do Google Book Search, que oferece apenas uma previsão das publicações
A loja de livros pode vir para ficar no lugar do Google Book Search, que oferece apenas uma amostra das publicações

O anúncio oficial da novidade foi feito pela empresa nesta segunda-feira, após o The New York Times sugerir um futuro pronunciamento do tipo no domingo, durante a BookExpo 2009 em Nova York, onde algumas editoras demonstraram interesse no negócio. Em nota, o Google disse que deseja construir e manter um “ecossistema digital para livros”, que daria aos seus parceiros a possibilidade de tornar seus títulos disponíveis para compra em qualquer dispositivo com acesso à internet, sem ser necessariamente um computador ou um gadget especialmente construído para tal.

Ainda dentro do anúncio oficial, ficou clara a intenção de se desenvolver um tipo de API para embutir uma prévia das publicações em sites, por qualquer usuário. Os dois objetivos já diferenciam muito o tipo de serviço que o Google deseja lançar, da Kindle Store, que atualmente suporta apenas o gadget da Amazon e dispositivos rodando o iPhone OS 3.0.

Quanto ao valor do conteúdo, ficou claro que a empresa pretende controlar tanto o preço final do livro quanto a sua parte nos lucros das editoras. Há alguns meses, falava-se que 37% do total arrecadado iria para o Google, mas, nas circunstâncias atuais, esse modelo de negócio poderá mudar bastante até o final deste ano, para quando está prevista a abertura da suposta loja.

Quanto ao formato a ser utilizado para a montagem do serviço e uso dos livros, nada foi comentado ou é conhecido. É fato que a iniciativa do Google consiste em oferecer livros sem utilizar tecnologias proprietárias que os façam depender de um aparelho especial, mas não há como saber se o projeto da companhia utilizará, por exemplo, algum tipo de tecnologia especial contra cópia diretamente no browser.

Posts relacionados

Comentários