Google começa a falar sobre o processo de desenvolvimento do Chrome para Mac OS X

ChromiumPassada a Google I/O 2009 — na qual conferimos muitas novidades que prometem dar à web maiores possibilidades no futuro —, membros da equipe de desenvolvimento do Chrome finalmente decidiram tomar a palavra sobre algo que realmente nos interessa: como anda o desenvolvimento da versão Mac do navegador.

Publicidade

Se o blog oficial da gigante de buscas for alguma indicação positiva, ele está chegando com forte potencial, apesar de não demonstrar grandes avanços nos nightly builds do Chromium, dos quais estou tendo a chance de acompanhar a evolução desde o início do projeto aberto.

Deixando a data de lançamento do Chrome longe do escopo deste artigo, a mensagem publicada no blog oficial do Google serviu para apontar os usuários para o blog de desenvolvimento do Chromium, onde Jeremy Moskovich, engenheiro de software da equipe de desenvolvimento do navegador, começou hoje a falar um pouco de alguns aspectos da construção do browser na plataforma da maçã. Basicamente, ele se focou em explicar como os processos do aplicativo se comportarão dentro da técnica de sandboxing, que basicamente serve para torná-los menos suscetíveis a ataques maliciosos, isolando-os em “ambientes restritos”.

A vantagem disso é que, se um algum código arbitrário tentar explorar uma falha no navegador, os processos isolados não permitirão que eles cheguem aos seus arquivos do sistema ou os danifiquem, pois tudo que roda em cada um deles é restrito ao seu próprio ambiente. Outro pró do uso de sandboxing é se aplicar a todo o Chrome: desde o WebKit (seu engine de renderização HTML) e o V8 para JavaScript, até suas APIs para extensões.

Publicidade

Mas existem também os contras de se usar essa prática. Para começar, plugins ficam fora da jogada, por dependerem de terceiros; e depois, a robustez do recurso depende diretamente da segurança do sistema operacional. No caso do Windows, a coisa é bem específica e complicada de ser aplicada e posta em execução, mas, no Mac OS X e no Linux, os engenheiros do Google encontraram tranquilidade para incluir sandboxing nos processos do navegador.

Ícone do painel Segurança no System Preferences do Mac OS XO sistema da Apple, segundo o Google, é o mais fácil de aplicar sandboxing em processos, pois as interfaces de programação necessárias são bem simples e rápidas de serem implementadas. Além disso, são bem mais espertas e fáceis de serem analisadas para uso, embora a documentação oficial sobre elas seja escassa, resumindo-se a poucas funções comentadas na comunidade de desenvolvedores da própria Apple. Se você for programador para o Mac OS X e estiver buscando mais informações sobre como isolar processos dos seus aplicativos em ambientes restritos, poderá encontrar muita coisa útil em um documento especial produzido pelo próprio time de desenvolvimento do Chromium.

É fato que poucas pessoas além de especialistas em segurança sentem a necessidade de buscar informações sobre isso, mas apenas a implantação desse recurso no Chromium serviu para o Google perceber o quão seguro é o Mac OS X. Nas palavras de Jeremy, “é importante que a versão Mac do Chromium se comporte como um aplicativo nativo, que forneça aos usuários de Mac a experiência de qualidade à qual estão habituados”. Talvez o tempo que estamos esperando pelo Chrome possa valer a pena, depois de tudo isso.

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…