Patentes da Apple mostram o funcionamento de resposta háptica, identificação de digitais e leitura de tags RFID em telas multi-touch

Três pedidos importantes de patentes para a Apple foram descobertos recentemente, mostrando projetos da empresa que aparentam oferecer novas maneiras para os os usuários interagirem com as telas multi-touch de iPhones e iPods touch. A primeira delas, relativa a feedback háptico para a tela dos aparelhos, vem para complementar uma das suas maiores qualidades, mas que também é uma das suas maiores desvantagens.

Patente do iPhone

Devido à tela ser uma superfície plana e sólida, o usuário não consegue utilizar o aparelho sem estar com atenção focada no que é exibido por ela, justamente por não ser capaz de reconhecer com o tato nenhum elemento exibido. A solução proposta pela Apple é revesti-la com uma camada capaz de emitir leves vibrações em frequências variadas, dependendo do tipo de objeto onde o usuário posicionar o seu dedo.

Desta forma, espera-se que o usuário seja capaz de controlar seu iPhone/iPod touch sem olhar para tela, reconhecendo controles de interface simples, como botões, listas e até áreas sem nenhuma interatividade. A aplicação de tal recurso pode ser variada: por exemplo, se um motorista que estiver no meio de uma rodovia e sentir a necessidade de ligar para algum parente ou colega de trabalho, pode fazê-lo sem tirar sua concentração do volante — apesar de o ato de falar ao telefone ser considerado uma infração de trânsito de qualquer maneira… 😛

. . .

Relacionado a variadas maneiras de se interagir com um dispositivo multi-touch via gestos simples, também está o suporte ao reconhecimento de digitais na tela. Usadas em computadores há algum tempo com o fim de proporcionar segurança de informações, elas ganhariam utilidades variadas na plataforma móvel da Apple. Mais precisamente, digitais poderiam ser assimiladas a comandos simples, que os aparelhos executariam ao serem posicionadas sobre a tela.

Patente do iPhone

O mais interessante do uso de reconhecimento de digitais é que ele pode ser combinado com outros comandos físicos do aparelho. Dessa forma, a Apple poderia implantar algo semelhante aos atalhos de teclado em seus gadgets. Por exemplo, uma ação específica poderia ser associada a um comando composto por um comando de voz emitido ao Voice Control e a identificação de uma digital.

Além disso, digitais poderiam ser usadas como uma forma de desbloquear aparelhos, muito mais segura que o código numérico que temos hoje no iPhone OS.

. . .

Por fim, vem o conceito de leitura de tags RFID diretamente em telas multi-touch, que consistiria na implantação de um sensor capaz ler informações presentes em uma dessas tags, simplesmente passando o aparelho sobre uma delas. Ainda não é muito comum encontrá-las em objetos no dia-a-dia para fins de identificação, mas trata-se de uma ótima adição para tirar vantagem dessas tags futuramente.

Patente do iPhone

Dentro das funcionalidades desse sensor, está a possibilidade de ele mesmo operar como uma tag RFID. Se concretizada, seria mais uma forma de compartilhar informações entre os aparelhos, dispensando a complexidade de se estabelecer uma conectividade P2P via Bluetooth ou uma rede Wi-Fi. Estando um aparelho preparado para enviar informações presentes na sua “tag” — que podem ser cartões de visita, por exemplo —, um segundo gadget com o mesmo sensor poderia ler essa informação e obter os dados que estão sendo informados por ela.

[Via: MacRumors.]

Posts relacionados

Comentários