Preço alto atrapalha vendas do iPhone na Rússia

Trio de iPhones 3GApesar do marketing agressivo e de uma alta demanda pelo iPhone, os russos ainda encontram certas dificuldades para ter em mãos o smartphone da Apple, segundo informa Svetlana Gladkova, editora do blog de tecnologia Profy.

Publicidade

Segundo ela, “muitas das pessoas que gostariam de ter um iPhone já possuem um. Parte do problema se deve à entrada ilegal de 400 mil aparelhos no mercado, algo que acabou satisfazendo a demanda inicial”. Porém, o maior problema é o preço que é cobrado por unidade, que atualmente varia entre US$700 e US$800. Entretanto, inicialmente o smartphone foi introduzido custando mais de US$1.000, algo que tornou a aquisição um tanto inviável para a maioria da população, cujo PIB per capita é de US$15 mil anuais. Sem contar que 15,8% da população encontram-se abaixo da linha de pobreza.

As três operadoras autorizadas a vender o aparelho no país fecharam um acordo inicial com a Apple para a venda de 3,5 milhões de unidades num período de até três anos. No entanto, de acordo com o site russo CNews, nos primeiros seis meses apenas 250 mil unidades foram vendidas. Para complicar a situação, as telecoms pararam de comprar diretamente da Apple, numa tentativa de renegociar os acordos por preços ou quotas menores — demandas que Cupertino já recusou aceitar.

Publicidade

Enquanto isso, as lojas estão com um prejuízo de milhões de dólares em seus inventários que nem a Apple nem as operadoras pretendem resolver. Sozinha, a Euroset (maior das redes de revenda e portadora da bandeira da operadora MTS) tem US$8,5 milhões em aparelhos que não consegue vender.

Para Svetlana, isso mostra o quanto o mercado russo é diferenciado e o quanto é difícil atingir por lá o mesmo sucesso que é alcançado em outros países, mesmo com o apoio de grandes parceiros locais.

[Via: Cult of Mac.]

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…