Apple pode estar considerando transformar contas da iTunes em concorrentes do PayPal e do Google Checkout

Dinheiro e Steve Jobs

Se alguém ainda precisa de motivos para compreender a saída de Eric Schmidt — CEO do Google — da diretoria da Apple, um novo rumor pode dar ainda mais substância à coisa: de acordo com o Silicon Alley Insider, engenheiros de Cupertino estariam trabalhando numa plataforma de pagamentos online similar ao gigante PayPal (do eBay) — e, consequentemente, ao seu concorrente de Mountain View, o Google Checkout. Até mesmo o Facebook poderá entrar na briga em breve, com um suposto serviço chamado “Pay with Facebook”.

Dinheiro e Steve Jobs

Pra falar a verdade, a plataforma da Apple em si já funciona desta forma — afinal, não é qualquer um que gerencia e executa o processamento de milhões e milhões de músicas, filmes, programas de TV e afins na iTunes Store, sem falar nos títulos da iPhone App Store. No ano passado, Steve Jobs anunciou que a Apple já contabilizava mais de 65 milhões de contas ativas na iTunes, mas toda essa infraestrutura é hoje restrita aos produtos e serviços da própria Maçã, é claro.

O primeiro passo para a transição seria supostamente a possibilidade de se fazer compras na Apple Store Online com uma conta do iTunes (no Brasil também?! :-D), quem sabe até mesmo com um app para iPhones/iPods touch que facilite todo o processo. Se uma API for criada e o sistema aos poucos começar a funcionar também com parceiros/revendedores, estaria criado o “iBank”. 🙂

Volto a lembrar que a Apple é uma fabricante de hardware. O seu lucro vem da venda de hardwares. Seu sistema operacional, seus softwares e a sua loja online só servem de catalizadores para a venda de Macs, iPhones e iPods. Ora, se a Apple pode proporcionar ainda mais uma comodidade e revolução para seus consumidores, por que hesitar?

Eu adoraria poder usar um gadget como este para realizar pagamentos corriqueiros, mas é claro que o modelo de parcerias da Apple teria que ser mudado. Apesar de a tecnologia ser a mesma, ela não poderia manter o compartilhamento 70/30 com um comércio qualquer. Ainda assim, uma coisa que a Apple tem é sustentação financeira e poder de barganha para firmar grandes parceiras nesse sentido (Starbucks, alguém?!). Para você ter uma ideia, o PayPal e Google cobram hoje em média 1-2% por compra, apenas.

É bom deixar claro que tudo isso ainda é “burburinho de bastidores”. Mas os radares da Apple estão ligados, com certeza. A ideia não é nada má.

Posts relacionados

Comentários